Após o tribunal sul-coreano declarar o presidente da Samsung, Jay Y. Lee, inocente das acusações de manipulação de preços e fraude contábil na fusão entre afiliadas da Samsung, promotores do país decidiram apelar da decisão. Segundo a Reuters, a acusação pede responsabilização do executivo por arquitetar estratégias e atropelar os interesses de acionistas menores. 

Para quem tem pressa: 

  • A Justiça da Coreia do Sul declarou Jay Y. Lee inocente na segunda-feira (05); 
  • Lee foi acusado de manipulação de preços e fraude contábil na fusão entre afiliadas da Samsung em 2015; 
  • A fusão, avaliada em US$ 8 bilhões (aproximadamente R$ 40 bilhões na cotação atual), era entre Samsung C&T, focada em engenharia e construção, e Cheil Industries, produtora de materiais químicos e têxteis; 
  • Não apenas Lee, outros executivos que participaram das negociações também foram inocentados pelo Tribunal Distrital Central de Seul; 
  • Segundo a Reuters, registros judiciais revelaram, nesta quinta-feira (8), que os promotores irão recorrer da decisão; 
  • A Samsung ainda não se pronunciou sobre o caso. 

Leia mais! 

De acordo com o processo, promotores haviam solicitado a prisão de Lee por cinco anos, além do pagamento de multa de US$ 375 mil, sob a acusação de ter usado influência indevida para garantir a aprovação governamental da fusão. 

publicidade

Em caso separado, de fraude contábil na Samsung Biologics num montante de US$ 3,9 bilhões, o presidente chegou a ser preso. Depois, recebeu liberdade condicional e perdão presidencial. O chefão de uma das maiores empresas de eletrônicos nega que tenha obtido vantagens pessoais com a fusão ou prejudicado acionistas. 

Embora Lee e seus advogados tenham comemorado a recente absolvição, o uso de recursos pelos promotores para revogar a inocência do executivo era esperada. Veja mais detalhes aqui