Apenas quatro meses depois de entrar em vigor, o programa de subsídios para veículos elétricos anunciado pelo governo da França será suspenso. Segundo as autoridades francesas, a medida foi tomada em função da alta demanda de adesões.

Leia mais

O programa havia sido criado em 22 de outubro de 2023 pelo primeiro-ministro francês, Emmanuel Macron. O objetivo era incentivar o aumento do número de carros elétricos no país, além de reduzir as emissões de CO2.

Ele possibilitava que cidadãos de baixa renda adquirissem os modelos a partir de pagamentos de apenas € 100 por mês (cerca de R$ 530). O restante do valor seria subsidiado pelo governo.

publicidade

A medida foi um sucesso e o número de subsídios foi o dobro dos 25 mil veículos elétricos fabricados na Europa estabelecidos como meta pelas autoridades francesas para 2024. A enorme procura, no entanto, foi considerada um problema e o governo da França decidiu suspender o programa de incentivos.

veículos elétricos
Governo francês queria incentivar aumento dos veículos elétricos no país (Imagem: Summit Art Creations/Shutterstock)

Até 50 mil subsídios para veículos elétricos antes da suspensão

  • Para se qualificarem para o programa, os franceses deveria ter um rendimento anual não superior a 15.400 euros (pouco mais de R$ 81 mil), viajar mais de 8 mil quilômetros por ano e viver a pelo menos 15 quilômetros do seu local de trabalho.
  • A iniciativa ainda cobria custos de seguro e cancelamento em caso de morte, invalidez ou desemprego.
  • A lista de carros elétricos elegíveis incluía 24 modelos produzidos pelo grupo Stellantis e cinco pela empresa francesa Renault.
  • O Tesla Model Y também fazia parte do programa, embora o Model 3 tenha sido deixado de fora.
  • A França tinha inicialmente orçado 1,5 bilhões de euros (quase R$ 8 bilhões) para subsidiar 20 mil veículos elétricos durante todo o ano de 2024.
  • Como a procura pelo programa foi muito superior ao previsto, o governo francês afirma que liberará os subsídios para no máximo 50 mil carros elétricos e depois vai interromper o programa.
  • A ideia é que o benefício seja retomado em 2025, mas não se sabe se os mesmos critérios serão adotados.
  • As informações são da Electrek.