Chegar mais cedo no seu destino é sempre uma boa notícia. Foi justamente o que aconteceu com passageiros de cinco voos que decolaram no último final de semana dos Estados Unidos. Pelo menos cinco aviões foram “empurrados” por ventos incomuns, ultrapassando a barreira dos 1.000 km/h enquanto voavam sobre o Atlântico.

Leia mais:

O que aconteceu

  • Os voos comerciais 22 da Virgin Atlantic Airways, 292 da British Airways, 216 da British Airways, 64 da United Airlines e 120 da American Airlines pousaram mais cedo graças a um fenômeno raro;
  • Ventos mais fortes sobre o Atlântico impulsionaram as aeronaves a mais de 1.340 km/h — a velocidade máxima de um avião comercial de grande porte não costuma passar de 925 km/h;
  • O avião da companhia American Airlines, que decolou da Filadélfica com destino à Doha, no Catar, foi o que voou mais rápido;
  • Para ter uma ideia, o voo 22 da Virgin Atlantic com destino a Londres foi o que pousou mais cedo: 45 minutos antes da hora. Os outros encurtaram os voos entre 20 a 30 minutos.
  • Os casos foram registrados no último final de semana, segundo as informações do La Nacion.

Segundo relatos dos passageiros, nada incomum aconteceu nos aviões durante as viagens, além de trechos com mais turbulência.

Quais são os assentos mais seguros para viajar de avião?
Imagem: Have a nice day Photo/Shutterstock

Meteorologia explica o fenômeno

O Serviço Nacional de Meteorologia dos EUA explicou que correntes de ar de 420 km/h a cerca de 10.600 metros foram responsáveis pelo fenômeno. Os ventos sopravam sobre Washington, mesma região onde todas as aeronaves passaram.

publicidade

Foram os ventos mais fortes já registrados na capital americana “desde meados do século 20”, disseram meteorologistas de Baltimore e Washington.

Aviões quebraram a barreira do som?

O meteorologista Jeff Berardelli explicou em entrevista ao jornal argentino que não.

1.343,8 km/h é teoricamente mais rápido que a velocidade do som (1.234 km/h). Mas, o avião está imerso em ventos de mais de 320 km/h. Ou seja, ele se move com o vento e, portanto, o avião em si não está realmente viajando a uma velocidade superior a 1.234 km/h em relação ao ambiente em que está localizado

Jeff Berardelli, meteorologista, em entrevista ao La Nacion

Vale recordar que a aeronave comercial capazes de romper a velocidade do som era o antigo Concorde, que superara a marca de 2.170 km/h. Para efeito de comparação, o modelo mais veloz em operação hoje, é o Airbus A330Neo, que, segundo a fabricante, pode atingir até 1.061 km/h.