A Polícia de Fortaleza, no Ceará, contou com a ajuda de um recurso da Meta (dona do Facebook e do Instagram) para localizar um bebê de dois meses que havia sido sequestrado. Uma mulher de 39 anos foi presa suspeita do crime.

Leia mais

O bebê foi encontrado na última segunda-feira (26) graças a um protocolo de busca de crianças e adolescentes desaparecidos. O Amber Alert entrou em operação no Brasil em agosto do ano passado após parceria firmada com o Ministério da Justiça.

A mãe da criança sequestrada é uma pessoa em situação de rua. Segundo a polícia, a sequestradora estava grávida, mas perdeu o filho logo após o nascimento. Contudo, ela disse à família que a criança não tinha morrido, mas estava internada em um hospital.

publicidade

No dia do sequestro, o bebê foi visto pela última vez em uma pousada social da Prefeitura de Fortaleza, no Bairro Centro, após ser deixado pela mãe aos cuidados da sequestradora, que estava no local.

A mulher e a criança foram localizadas no Bairro Sabiaguaba. A mulher presa foi levada para delegacia, onde foi autuada em flagrante por sequestro e cárcere privado e colocada à disposição da Justiça. As informações são do G1.

Meta
Amber Alert entrou em operação no Brasil após parceria entre a Meta e o Ministério da Justiça (Imagem: rafapress/Shutterstock)

Como funciona o Amber Alert

  • A família faz o boletim de ocorrência e o desaparecimento da criança é confirmado pela autoridade policial;
  • A polícia, então, contata o Ciberlab, do Ministério da Justiça;
  • Após, em parceria com a Meta, é criado um aviso de desaparecimento, que conta com a foto da criança, nome, características físicas e a informações da última vez que foi vista;
  • Por fim, o alerta do desaparecimento do bebê é entregue a todos os usuários do Facebook e Instagram num raio de 160 quilômetros do local do sumiço.
  • Eles recebem a imagem da criança no feed das redes sociais.
Amber Alert avisa usuários das redes sociais sobre o desaparecimento (Imagem: reprodução/Meta)

Serviço já ajudou a localizar outras crianças

Os alertas são emitidos somente para os casos de desaparecimento de pessoas que tenham menos de 18 anos e que estejam em risco iminente, segundo a avaliação das autoridades.

De acordo com o delegado-diretor da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa do Ceará, Ricardo Pinheiro, algumas pessoas identificaram o bebê de dois meses sequestrado a partir das imagens divulgadas pelo Amber Alert nas redes sociais. Este já é o terceiro caso, somente neste ano, em que a polícia cearense utiliza o serviço de alertas e consegue encontrar a criança.

Segundo a Meta, o Amber Alert é utilizado em 30 países diferentes e, no Brasil, o serviço está disponível no Ceará, Minas Gerais e no Distrito Federal. A ideia é que, gradualmente, o projeto deve atender em todo território nacional. Os próximos estados a aderir à iniciativa devem ser Bahia, Piauí, Rio Grande do Norte, São Paulo, Pernambuco, Paraná, Paraíba, Amapá, Goiás e Roraima.