O próximo eclipse solar total ocorrerá no dia 8 de abril de 2024. Segundo a Nasa, está sendo esperado como um dos eclipses mais vistos dos últimos tempos. Não será visível no Brasil, mas sim na América do Norte. Apesar de não serem raros, os eclipses não são visíveis em todas as partes do mundo.

Costumam ser fenômenos muito apreciados e geram expectativas de onde e quando serem vistos. Os eclipses solares acontecem duas vezes por ano, com um intervalo de aproximadamente seis meses entre eles. Este período é conhecido como temporada de eclipse e tem duração de 35 dias. 

Leia mais:

Os eclipses ocorrem a cada 173 dias (1, 2 ou 3 eclipses) numa certa ordenação, perfazendo um ciclo a cada 18 anos e 11 dias (período de Saros, com 41 eclipses solares e 29 lunares). Os eclipses solares acontecem em maior número e não são raros. Porém, não são visíveis em todas as partes do planeta. A visibilidade depende da posição do espectador. 

publicidade
Fim de tarde nos Montes Ozarks, no Petit Jean State Park, no Arkansa, EUA, um dos melhores locais para ver o fenômeno de abril de 2024. Crédito: M.Curtis – shutterstock

O próximo eclipse do Sol anular ocorrerá em 2 de outubro de 2024, mas só poderá ser notado no extremo sul da América e também em áreas do oceano Pacífico. No Brasil, o fenômeno só vai voltar a ser visível no dia 6 de fevereiro de 2027 e, mesmo assim, só de forma completa no Rio Grande do Sul.

Tipos de eclipses solares

Existem quatro tipos:

  1. Total: a Lua cobre totalmente a luz solar, projetando a sua sombra sobre a Terra. Durante um eclipse solar total, apenas a coroa do Sol (camada externa da atmosfera solar) é visível a partir da superfície terrestre.
  2. Parcial: a Lua não fica perfeitamente alinhada com o Sol, cobrindo apenas parte da sua luminosidade.
  3. Anular: a distância da Lua não a permite cobrir toda a luz solar, deixando uma espécie de anel brilhante.
  4. Híbrido: em um mesmo evento, pode ser visto como anular ou total, dependendo do local de observação.