Em resposta a OpenAI, ou não, Elon Musk anunciou nesta segunda-feira (11) que irá abrir o código de seu chatbot, “Grok”. Segundo o empresário, modelo será disponibilizado ainda esta semana. Decisão ocorre dias após o bilionário processar a startup dona do ChatGPT. Entenda abaixo! 

O que você precisa saber: 

  • Um software de código aberto permite que o código-fonte do programa seja disponibilizado e licenciado para modificação e distribuição gratuita para qualquer um e com qualquer finalidade; 
  • A novidade aplicada ao Grok, rival do ChatGPT, pode impulsionar ainda mais o produto da xAI, empresa de Musk dedicada à inteligência artificial; 
  • Isso ocorre após o bilionário, que ajudou a fundar a OpenAI em 2015, processar a startup por abandonar sua missão original em favor de um modelo com fins lucrativos; 
  • Em resposta, a companhia disse que o descontentamento de Musk ocorre devido a OpenAI não ter aceitado uma fusão com a Tesla. Além disso, a empresa divulgou um “fio” com e-mails trocados com o bilionário, nos quais ele concordava com o plano da empresa de captar mais dinheiro e se afastar gradualmente das divulgações open-source de seus produtos. 

Leia mais! 

A mudança no Grok dará ao público acesso gratuito para experimentar o código por trás da tecnologia e alinhar a xAI com empresas como a Meta e a francesa Mistral, ambas com modelos de IA de código aberto. O Gemma, do Google, também permite que desenvolvedores externos moldem o programa conforme suas necessidades. 

publicidade

Em um mercado que vive uma competição acirrada devido ao boom da IA, Musk buscou uma alternativa a OpenAI e ao Google lançando a xAI. A empresa aspira ter uma “IA que busca a verdade máxima”. Em dezembro, a startup lançou o Grok para assinantes Premium+ do X. 

O risco do código aberto 

De acordo com a Reuters, embora a tecnologia de código aberto ajude a acelerar as inovações, alguns especialistas alertam que os modelos de IA de código aberto podem ser usados por terroristas para criar armas químicas ou mesmo desenvolver uma superinteligência consciente, fora do controlo humano. 

Vale lembrar que, no boom da IA generativa, através da chegada do ChatGPT, Musk foi um dos nomes a assinar carta aberta citando os riscos do avanço para a sociedade. Na Cúpula de Segurança de IA da Grã-Bretanha, realizada no ano passado, o bilionário também manteve a posição sobre a cautela, sugerindo até um “árbitro terceirizado” para supervisionar empresas que desenvolvem IA. 

No que diz respeito a IA de código aberto, no entanto, o especialista é a favor. Parte disso devido ao modelo de código fechado estar sendo usado apenas para lucro máximo.