Ao menos dois municípios de Mato Grosso do Sul sofreram com forte ventania carregada de poeira no início da tarde de quinta-feira (21). O Climatempo informou que foram registrados ventos de 80 km/h em Dourados (MS) e 63 km/h em Ponta Porã (MS).

Segundo o g1, a ventania chegou pelo sul do Estado, avançou pelo centro e chegou à capital Campo Grande (MS) e Sidrolândia (MS). Por sua vez, o Aeroporto Internacional Ueze Elias Zahran, na capital sul-mato-grossense, sofreu com rajadas de 70 km/h.

publicidade

Leia mais:

Para completar o cardápio de clima insano no Estado, o Guia Clima da Embrapa Agropecuária Oeste indicou queda abrupta de temperatura em Dourados (MS): em 30 minutos (entre 12h58 e 13h28), a temperatura caiu de 37,4 °C para 20,1 °C, significando diminuição de 17,3 °C.

publicidade

Os moradores da região flagraram uma forte tempestade de areia cobrindo cidades, como Dourados (MS), Ponta Porã (MS), Iguatemi (MS) e Sidrolândia (MS). Às 12h, Ponta Porã (MS) registrava 34 °C, ante 18 °C às 15h. Assista aos registros:

publicidade
Vídeo: Reprodução/Redes sociais

A combinação da passagem de frente fria com o ar muito quente que está sobre o MS estimula mais nuvens carregadas sobre o estado. Esta frente fria traz ventos frios que desta vez vão conseguir entrar em MS, aliviando o calorão. O Estado vem sendo um dos locais mais quentes do Brasil desde o início da onda de calor de março, há cerca de dez dias.

Josélia Pegorim, meteorologista do Climatempo
  • Pegodim disse, ainda, que, de sexta-feira (22) até domingo (24), diversas áreas do Estado terão máximas abaixo de 30 °C;
  • Contudo, com a atmosfera muito quente, poderemos ter chuva forte nos próximos dias;
  • Por sua vez, a Defesa Civil de Dourados (MS) indicou que estava atendendo chamados por queda de árvores que obstruíram vias, porém, não houve registro de feridos;
  • Em Ponta Porã (MS), os chamados para a Secretaria de Obras estavam centrados em destelhamentos e quedas de árvores.

Litoral paulista também sofreu com ventania

Outra região brasileira que sofrem com fortes rajadas de vento foi o litoral paulista. A ventania começou por volta das 18h e provocou vários estragos.

Em Santos (SP), o vento forte repentino pegou de surpresa os membros da imprensa e transeuntes que passavam em frente ao prédio onde se localiza o apartamento do ex-jogador Robinho, preso nesta quinta-feira (21) para cumprir pena após condenação por estupro na Itália.

publicidade

Nas imagens das TVs, viam-se vários populares correndo para se abrigar e protegendo o rosto, pois, como a região fica à beira da praia, muita areia foi levantada pelo vento e jogada na via. Até uma almofada apareceu do nada e foi levada pelas rajadas.

O g1 indicou que não foi só a almofada que foi “vítima”. A ventania causou vários estragos na Baixada Santista, como várias quedas de árvores – 17 só em Santos (SP), sendo que uma caiu em um veículo –, entre outros.

O teto de uma academia em Praia Grande (SP) também desabou, e uma banca de jornal tombou na Praça Benedito Calixto, no Boqueirão, em Santos (SP). Já no bairro Gonzaga, um transformador explodiu na rua Jorge Tibiriçá.

No Guarujá (SP), também houve explosão de transformador, no bairro Morrinhos 2.

Foram registradas, ainda, queda de energia em vários pontos de Santos (SP), deixando vários semáforos da cidade portuária desligados. A CET-Santos foi acionada e estava controlando o trânsito nessas regiões.

Moradores de São Vicente (SP) também relataram ausência de energia elétrica. A fornecedora da região, a CPFL Piratininga, se manifestou por meio de nota. Nela, afirmou que todo seu efetivo foi imediatamente imobilizado e está atuando para restabelecer o fornecimento de energia a seus clientes o mais breve possível.

Nesses momentos, o mais importante é garantir a segurança de todos. Assim, a CPFL alerta para que ninguém toque em fios partidos ou galhos de árvores que estejam caídos sobre a rede elétrica. Acione imediatamente a CPFL e o Corpo de Bombeiros e aguarde o atendimento.

CPFL Piratininga, em nota

Banca de jornal tombou em Santos (SP) (Imagem: Ronaldo Vaio)

Em Santos (SP), não houve registro de feridos, tampouco de pessoas desabrigadas ou desalojadas. Contudo, a Defesa Civil está monitorando áreas de risco.

A região pode esperar mais ventania nas próximas horas e dias. A Defesa Civil do Estado de São Paulo informou que está chegando uma frente fria que vai deixar o tempo instável também na Baixada. Esperam-se ventos de até 95 km/h e chuvas com níveis de até 180 mm.

O órgão informou ainda que existe a possibilidade de deslizamentos, inundações, alagamentos, enxurradas e raios. Portanto, atenção redobrada é fundamental.

Ainda em Santos (SP), na manhã desta quinta-feira (21), a prefeitura colocou a cidade em estado de atenção após a Defesa Civil alertar para maré agitada, fortes chuvas e rajadas de ventos.

Caso as ondas ultrapassem os três metros de altura, ou o nível do mar passe dos dois metros, o estado de atenção pode evoluir para estado de alerta, segundo o Plano Municipal de Contingência para Ressacas e Inundações de Santos.

Por isso, a prefeitura recomenda (mas isso vale para todo o País):

  • Evite exposição em áreas abertas, dado o risco de raios;
  • Não busque proteção embaixo de árvores;
  • Evite ficar próximo a redes de energia elétrica;
  • Em épocas de chuvas torrenciais, procure não andar em locais inundados ou atravessar ruas com enxurradas.