As novas instalações que a Ferrari vai passar a usar no desenvolvimento dos seus luxuosos veículos não vão necessariamente aumentar a produtividade da montadora, ao invés disso, farão aumentar a flexibilidade de fabricação, além de reduzir o tempo necessário para desenvolver e lançar novos modelos, diz o CEO da empresa. As informações são da Reuters.

Leia mais:

Vídeo relacionado

A nova instalação da Ferrari ficará na sua cidade natal, Maranello, no norte de Itália, após um investimento de cerca de 200 milhões de euros. A fábrica também produzirá o primeiro carro totalmente elétrico da marca.

“Este edifício nos permitirá reduzir o tempo de lançamento no mercado ou de desenvolvimento de produtos”, disse o CEO Benedetto Vigna na inauguração da fábrica, acrescentando que essas duas atividades às vezes se sobrepõem nas linhas de montagem existentes.

publicidade

Vigna disse que a Ferrari não estava pressionando por volume, mas por valor. “Então, basicamente, mais dinheiro por carro. Queremos fazer a empresa crescer, mas não porque aumentamos os volumes”, disse ele, acrescentando que uma ferramenta fundamental para expandir as receitas das vendas de carros são as personalizações.

As personalizações são os toques que o cliente solicita para tornar o modelo mais adequado aos seus gostos, tanto por dentro como por fora.

publicidade

“Queremos ter mais ferramentas, ferramentas tecnológicas… mais flexibilidade para acomodar a necessidade de mais personalização de nossos clientes”, disse Vigna.

Logo da Ferrari em carro da marca
Ferrari vai ampliar instalações em sua cidade natal, Maranello, na Itália (Imagem: Alejandro Principato/Shutterstock)

Informações da Reuters revelam que o primeiro veículo elétrico da Ferrari deve custar em torno de meio milhão de euros. Um segundo modelo movido totalmente por baterias já estaria em produção.

publicidade

Detalhes da nova fábrica da Ferrari em Maranello

  • As novas instalações de 42.500 metros quadrados, que se somam às já existentes em Maranello, dão à Ferrari uma linha de montagem de automóveis adicional.
  • Isso aumenta a capacidade teórica geral de produção da empresa para cerca de 20 mil carros por ano, contra menos de 14 mil entregues em 2023
  • A empresa também fabricará nesta nova instalação componentes importantes para veículos elétricos, incluindo eixos, motores e montagem de baterias.
  • Contudo, a nova fábrica também vai produzir modelos híbridos e tradicionais com motores a combustão.
  • Os planos da Ferrari são oferecer no futuro um mix dos três tipos de motores, para atender diferentes tipos de clientes.

A nova fábrica lançará seus primeiros carros em janeiro do próximo ano, enquanto a produção em série do primeiro carro elétrico da Ferrari começará em janeiro de 2026, disse Vigna.

ferrari
Ferrari tem planos para entrar no mercado de veículos elétricos – Imagem: Tanase Sorin/Shutterstock