Depois de aprovar o mega-salário de Elon Musk, a Tesla repassou, aos seus investidores, seu relatório trimestral de produção e entrega. Para desgosto de muitos, houve queda em ambos os números quando comparado ao mesmo período em 2023.

Tesla apresenta maus números

  • A montadora diz ter produzido 410.831 veículos entre abril e junho deste ano, queda de 14% ante o mesmo período noa no passado;
  • Seus clientes teriam recebido 443.956 carros da Tesla, registrando queda de 4,76% em relação há um ano;
  • O The Verge rememora que a queda nas vendas ano-a-ano virou tendência no início de 2023, primeiro registro desse tipo desde 2020;
  • Enquanto luta com a demanda, a empresa reverteu a queda sequencial nas estregas no trimestre anterior, registrando aumento de 14,8% ante o primeiro semestre de 2024.

publicidade
Model 3 é um dos dois veículos que correspondem a mais de 90% do faturamento da Tesla (Imagem: Shutterstock)

Como explicar a queda sofrida pela empresa de Elon Musk?

Como se não bastasse, a montadora vem enfrentado dificuldades que afetaram a fabricação de elétricos, como o aumento do novo modelo do Model 3 em Freemont, Califórnia (EUA), além de paralisações relacionadas a problemas na cadeia de suprimentos na Gigafactory da empresa, localizada em Berlim (Alemanha).

Contudo, isso, por si só, não explica, por completo, a situação atual da Tesla, no que tange a queda nas entregas. A participação de mercado da companhia diminuiu conforme as montadoras tradicionais aumentam os modelos disponíveis. Atualmente, ela tem cerca de 50% de fatia, ante 80% que detinha em 2020.

publicidade

Além disso, enquanto as demais alegam crescimento na casa de dois dígitos quanto às vendas de EVs, a Tesla registra quedas cada vez maiores nas vendas de seus veículos.

Duas outras razões seriam lacunas na linha de veículos da companhia e a crescente competição, sobretudo com as marcas chinesas. Mais de 90% das vendas da Tesla, por exemplo, são do Model 3 e Model Y, somente. A Cybertruck, inovadora em muitos aspectos, segue sofrendo com recalls e reclamações de usuários (que não pagaram barato).

publicidade

O The Verge aponta ainda que, como a empresa não divulga seus números regionalmente, impossibilitando apontarmos suas principais fraquezas. Contudo, há quem aponte a Europa como problema crescente. Já a China estaria melhorando por conta das taxas de juros menores e novos incentivos.

Mas há um motivo que pode ser grande balizador dessa situação: Musk e suas falas cada vez mais “avassaladoras”.

publicidade

Leia mais:

Cybertruck
Por sua vez, a Cybertruck destoa completamente dos projetos tradicionais da empresa e vem apresentando vários problemas (Imagem: Divulgação/Tesla)

Seria Elon Musk o principal problema da Tesla?

Como dito acima, Musk sempre faz declarações polêmicas, o que pode indicar a queda de interesse dos consumidores em seus carros. No X, o bilionário sul-africano faz várias publicações políticas, mostrando-se cada vez mais de direita.

Só que isso, aponta o The New York Times, pode estar afastando clientes liberais e de esquerda, mais propensos a adquirir elétricos do que conservadores. O Times chegou a essa conclusão após ouvir analistas proprietários que participaram de pesquisa do periódico que quis saber se o comportamento de Musk afetou suas opiniões sobre a Tesla.

Musk é um verdadeiro para-raios. Há pessoas que juram por ele e pessoas que o xingam. Sem dúvida, alguns de seus comentários são realmente desestimulantes para algumas pessoas. Para um subconjunto, o suficiente para comprar outra marca.

Ben Rose, presidente da Battle Road Research, em entrevista ao The New York Times

Ao todo, mais de 7,5 mil pessoas participaram da pesquisa. Algumas delas indicaram ter ficado ofendidas com o que entendem como antissemitismo de Musk, negado pelo bilionário.

Outros não gostam da forma como Musk administra o X, comprado por ele quando ainda era Twitter, em outubro de 2022. Ainda, sua boa relação com o ex-presidente dos EUA e atual candidato Donald Trump e outras personalidades conservadoras é visto com preocupação.

Aaron Shepherd, designer de produtos da Microsoft em Seattle (EUA), disse ao Times que, ao invés de comprar um Tesla, está pensando em um Volkswagen ID.4 elétrico. E afirmou, ainda: “Você está basicamente dirigindo um chapéu MAGA vermelho gigante”. A frase remete ao boné vermelho da campanha de Trump, com os dizeres “Make America great again” (daí a sigla MAGA).

Quem participou da pesquisa também está desanimado com a experiência de serviços da Tesla, que não faz nada por meio de concessionárias. Para se ter uma ideia de como Musk afeta o que as pessoas pensam, leia o que Tim Yocum, diretor de engenharia de uma empresa de software, disse: “Houve um tempo em que eu teria dado um órgão a Musk se ele precisasse de um”.

Mas o morador de Chicago (EUA) enfrentou problemas com seu Model S e não ficou satisfeito com os serviços de reparo e manutenção oferecidos. Ele também se incomodou com a posição política do bilionário.

Elon Musk durante evento
Musk não acha que suas opiniões afetem a reputação da Tesla. Será? (Imagem: photosince/Shutterstock)

A Tesla é a única fabricante nos tempos contemporâneos que deixou, sem pedir desculpas, seu CEO levar uma tocha tiki para seu bom nome. Este carro será o último Tesla que terei.

Tim Yocum, dono de um Tesla Model S, ao The New York Times

Comentários como o de Yocum refletem a reputação da Tesla. Na Axios Harris Poll 100 2024, que mostra opiniões sobre empresas, a companhia de Musk caiu para 63ª. Em 2021, por exemplo, estava no oitavo lugar. Só que Musk insiste que seus comentários e opiniões não afetam as vendas da montadora:

Nós fazemos os melhores carros. Quer você me odeie, goste de mim ou seja indiferente, você quer o melhor carro ou não?

Elon Musk, em declaração no The Times’s DealBook Summit, em novembro de 2023

Mas há quem afirme que as declarações do empresário não os afetam ao adquirir um Tesla. Seus admiradores o creditam por fomentar a produção de veículos elétricos, especialmente por montadoras que sempre resistiram à tecnologia e seguiam com motores a combustão.

Ele liderou uma empresa que interrompeu com sucesso uma indústria automobilística corrupta e preguiçosa. Sou adulto o suficiente para separar essas preocupações da minha escolha de produtos de consumo.

Julian Mehnle, engenheiro de software, em entrevista ao The New York Times

Musk é um talento gigantesco e disruptivo com um efeito transformador e positivo no mundo em que vivemos. Ele também tem uma personalidade excêntrica, mas não vou me casar com ele; vou comprar carros de uma empresa que ele lidera brilhantemente.

Robert Dean, arquiteto, em entrevista ao The New York Times

Só que o cenário político, ou seja, dos republicanos que poderiam mudar de ideia e abraçar os elétricos, não deve mudar. Uma pesquisa do Pew Research Center aponta que 77% dos republicanos e eleitores com tendência republicana não têm interesse em veículos elétricos, 7% a mais do que em 2023.

Já um estudo da Interbrand afirma que um presidente-executivo ou qualquer outro representante de uma empresa que ofende seus clientes pode reduzir suas vendas em até 10%.

Mas as preocupações de clientes Tesla e de outras montadoras vão além da posição política de Musk. Foram citadas acusações de discriminação racial nas fábricas da Tesla, algo negado pela empresa. Ainda, há a percepção de que Musk teria passado a permitir o crescimento de conteúdos racistas no X.

Minha mãe estava pensando seriamente em comprar um Tesla. Como uma pessoa negra, senti que seria um insulto minha mãe dirigir um Tesla.

Achidi Ndifang, profissional de Tecnologia da Informação, em entrevista ao The New York Times

Já o professor de matemática do Ensino Médio Derek Morf afirmou ter se alarmado quando a Tesla removeu o Disney+ de algumas telas de seus veículos no fim do ano passado, tudo porque, supostamente, Musk estava bravo com Robert Iger, presidente-executivo da Disney.

Morf não dava atenção ao app, mas achou perturbador saber “que o veículo que comprei pudesse ter recursos alterados em um instante simplesmente porque um homem tinha tanto controle”.

Isso pode ser algo preocupante para a Tesla, pois a companhai está procurando difundir cada vez mais o Autopilot, seu sistema de direção autônomo.

tesla
Há quem tema o poder que (Musk) a Tesla tem sobre o interior do carro (Imagem: Jose Gil/Shutterstock)

Aqueles que aprovam Musk o defendem rememorando que outras montadoras passaram por problemas semelhantes no passado. Como o Times relembra, anos atrás, a VW passou por escândalo relacionado a emissões. O fundador da Ford, Henry Ford, tinha e espalhava visões antissemitas e, há dez anos, veículos da GM foram vendidos com interruptores de ignição com defeito, causadores de mais de 100 mortes.

Ainda, a maioria de montadoras consolidadas seguem vendendo veículos a gasolina, emissores dos gases que causam o efeito estufa e outros poluentes.

Se as pessoas pensam que os CEOs de outras empresas são santos, elas são um pouco ingênuas, na minha opinião. Eles simplesmente não têm uma boca tão grande e/ou plataforma quanto Elon Musk.

Jan Leys, dono de um Tesla, em entrevista ao The New York Times

O que vem por aí para a empresa?

Dito tudo isso, resta aguardarmos os desdobramentos do futuro da Tesla. No fim deste mês, a empresa deve revelar seus lucros do trimestre, ao passo em que, em 8 de agosto, Musk apresentará o robotáxi e, provavelmente, os rumos da empresa, alinhando inteligência artificial (IA) e robótica.