A Força Aérea dos Estados Unidos divulgou imagens de um novo drone espião. Desenvolvido pela DZYNE Technologies Incorporated, a Aeronave de Reconhecimento Tático de Longa Duração Não Tripulada (ULTRA) foi agora confirmada como ativa pela própria Casa Branca.

Drone ULTRA (Imagem: Força Aérea dos EUA)

Casa Branca precisava de um novo modelo

  • A criação do novo drone foi resultado das tensões no Oriente Médio, especialmente no Mar Vermelho, onde o grupo rebelde iemenita Houthi tenta impedir a passagem de embarcações comerciais desde o início da guerra de Israel na Faixa de Gaza.
  • Os EUA chegaram a usar os modelos MQ-9 Reapers para evitar ataques na região.
  • No entanto, o alto custo destas aeronaves inviabilizariam a atuação por muito tempo.
  • Foi por isso que a Casa Branca encomendou um novo modelo de drone.

Leia mais

publicidade
Drone ULTRA pode percorrer distâncias maiores (Imagem: Força Aérea dos EUA)

Drone poderá ser usado em locais remotos

De acordo com a DZYNE, o trabalho contou com a ajuda do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA (AFRL). O objetivo era criar um novo drone que fosse barato, menos vulnerável e pudesse ser colocado no ar rapidamente.

O ULTRA não é tão grande ou avançado quanto o Reaper, mas é muito mais barato e possui uma resistência de 80 horas com uma carga útil de mais de 180 kg. Ele ainda opera a uma altitude mais baixa.

publicidade

Além disso, o novo modelo pode transportar uma variedade configurável de cargas eletro-ópticas/infravermelhas (EO/IR), radiofrequência (RF) e outras cargas úteis de coleta de inteligência de baixo custo.

De acordo com a Força Aérea dos Estados Unidos, o novo drone pode ser utilizado para cobrir áreas maiores e remotas, realizando missões longe dos aeródromos disponíveis usando sistemas de comando de satélite.