Cientistas descobrem que Betelgeuse está mais perto do que se pensava

Além disso, os especialistas conseguiram definir seu tamanho

Luiz Nogueira 16/10/2020 16h20
Betelgeuse
A A A

Por mais que cientistas do mundo todo saibam da existência de Betelgeuse, ainda há muitos mistérios sobre a estrela que ainda não foram descobertos. No entanto, estatísticas recentes podem ter colocado uma luz sobre o tamanho e distância da gigante vermelha.


De acordo com uma equipe de pesquisadores liderada por membros da Australian National University (ANU), "o tamanho físico real de Betelgeuse tem sido um mistério. Estudos anteriores sugerem que ela pode ser maior que a órbita de Júpiter. Mas nossos resultados indicam que a estrela é apenas dois terços disso, com um raio de 750 vezes o do Sol", disse László Molnár, membro do Observatório Konkoly na Hungria e um dos envolvidos na pesquisa.

Desde sua descoberta original, Betelgeuse sempre foi um tanto difícil de mapear com precisão. Isso porque, ao contrário do que se pensa quando dizemos que é uma estrela, a gigante é uma bolha pulsante com bordas difusas.

No passado, presumiu-se que a estrela estava a cerca de 180 anos-luz da Terra. Revisões recentes aumentaram ainda mais essa distância, levando-a para 724 anos-luz de distância.

Reprodução

Especialistas descobriram que o raio de Betelgeuse é 750 vezes o do Sol . Foto: Raymond Cassel/ Shutterstock

Esse número, junto de estudos complementares, apontou que a estrela se aproximava rapidamente de um estágio de vida em que teoricamente entraria em colapso e explodiria em uma bola brilhante que seria visível a olho nu.

Um escurecimento inesperado da luminosidade da estrela fez com que os especialistas esperassem pelo fim. Porém, ao que parece, tudo não passou de nuvens de poeira que obscureceram a visão da Terra.

Proximidade

Agora, usando informações coletadas antes do escurecimento de Betelgeuse, a equipe de pesquisadores desenvolveu modelos que mostram a possível atividade da estrela, o que dá uma noção do quão perto do fim ela realmente está.

"Está queimando hélio em seu núcleo no momento, o que significa que não está nem perto de explodir", disse Meridith Joyce, astrofísica da ANU. "Poderíamos prever uma explosão 100 mil anos antes que aconteça", completa.

Os resultados também permitiram que os pesquisadores deduzissem sua distância. De acordo com os cientistas, Betelgeuse não pode estar a mais de 700 anos-luz de distância. "Nossos resultados mostram que está a apenas 530 anos-luz de nós", diz Molnár.

Com isso, descobrimos que a gigante vermelha está mais perto do que se pensava. Quando o colapso acontecer, será uma exibição e tanto. Felizmente, apesar de ser observável, não sentiremos o calor de sua radiação quando o momento chegar.

Via: Science Alert

Ciência espaço Estrelas descoberta Ciência&Espaço
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!

Recomendados pra você