Coronavírus

Descubra se você faz parte dos grupos mais suscetíveis ao coronavírus

Guilherme Preta, editado por Fabiana Rolfini 06/03/2020 10h40
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Centro de Controle de Doenças da China (CCDC) divulgou gráfico após análise de pacientes infectados

O coronavírus teve sua origem na província de Wuhan, na China, antes de se espalhar pelo país e posteriormente pelo mundo. São mais de 99 mil casos, com 3.400 mortes confirmadas. Como o país de origem é o com mais casos, analisar seus dados podem ajudar a entender como o Covid-19 afeta diferentes pessoas. Foi o que o Centro de Controle de Doenças da China (CCDC) decidiu fazer. Foram analisados 72.314 pacientes, separados por gênero, idade e gravidade da doença.


Reprodução

O gráfico acima mostra os casos e mortes separados por idade. É possível notar que apenas 10% deles atinge pessoas com menos de 30 anos, sendo 2% com idade menor que 20 anos. Por outro lado, 75% dos infectados possuem entre 30 e 69 anos, com mais destaque para pessoas com idade entre 50 e 59 anos.

Esses números podem ser consequência da demografia da China, mas especialistas acreditam realmente que adultos e idosos são mais suscetíveis. Em relação às vítimas fatais, 50% possuem com mais de 70 anos. Outros 30% estão no grupo anterior, entre 60 e 69 anos. O gráfico de óbito mostra uma tendência clara: pacientes mais velhos possuem mais chances de não resistir à doença.

Reprodução

O Covid-19 também parece afetar os gêneros de forma diferente. Apesar da quantidade de casos bastante aproximada, com pouco mais de 51% das vítimas sendo do sexo masculino, a proporção de vítimas fatais se altera para quase 64% entre homens. Para mulheres, são quase 49% dos casos e 37% dos mortos. Para esses dados, especialistas acreditam que o fato de a quantidade de homens fumantes no país é muito maior que o de mulheres, o que os tornam mais suscetíveis às doenças cardiovasculares e pulmonares, agravante para o coronavírus.

Reprodução

Outro ponto que os gráficos mostram é em relação à gravidade da doença. A grande maioria dos casos, cerca de 80%, é leve. O restante se divide com 14% de casos graves e apenas 5% críticos. É nessa faixa que se encontram as vítimas fatais.

A grande questão dessa análise é a comparação com o restante do mundo. Porém, com esses dados registrados, é possível utilizá-los para ajudar a combater e prevenir a doença. Independente de gênero e idade, todos precisam fazer sua parte para frear a epidemia. As recomendações da OMS sugerem não sair de casa quando apresentar sintomas, evitar tocar o rosto e lavar as mãos com água e sabão frequentemente.

Via: Popular Science


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



China doença doença pulmonar coronavirus epidemia
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você