Elon Musk: a trajetória do polêmico bilionário

Texto: Nick Ellis
Conceito: Eduardo Nuvens

Elon Musk é um grande inovador e visionário, e também um dos empresários mais bem sucedidos do mundo, conhecido por ser o CEO da Tesla Motors e da SpaceX, duas empresas muito inovadoras que se tornaram verdadeiras referências mundiais em seus nichos.

Além disso, ele também criou outras empresas bem promissoras como a Neuralink, a The Boring Company e a OpenAI. Elon Musk também é uma pessoa cercada de polêmicas em sua vida pessoal, que geralmente são alimentadas pela sua rede social favorita, o Twitter.

Neste texto, vamos falar sobre a trajetória da vida de Elon Musk, suas principais realizações e desafios.

Como a Tesla não faz propagandas de seus carros, a presença pública de Elon Musk é fundamental na divulgação da empresa, e assim ele se aproveita de sua fama e de eventuais polêmicas para conseguir chamar a atenção do mercado e da imprensa.

No começo deste ano, ele revelou o que seria o segredo do seu sucesso, que seria formado por três passos: aproveitar a oportunidade para ser melhor do que os demais, pedir aos amigos para fazerem críticas sobre os seus projetos e sempre cercar-se do melhor.

Para Elon Musk, uma possível solução para o avanço tecnológico constante que ameaça os empregos da população seria a adoção da renda básica universal. Para ele, essa situação poderia trazer uma mudança positiva para a sociedade, liberando mais tempo livre para as pessoas fazerem "coisas mais interessantes e coisas mais complexas", em suas palavras. Além disso, ele também destacou o tempo extra para o lazer.

Atualmente, Elon Musk é o quarto homem mais rico do mundo.

Jovem Elon Musk - Crédito: branden.biz Crédito: branden.biz

O começo – Criação da Zip2 e venda para a Compaq

Nascido na África do Sul em 1971, o empresário Elon Reeve Musk é filho de um engenheiro sul-africano, Errol Musk e uma ex-modelo canadense, Maye Musk. Ele, seu irmão Kimbal Musk e sua irmã Tosca passaram a infância na cidade de Pretória, mas não tiveram uma infância fácil, já que o pai deles chegou a ser violento e agressivo.

Os pais de Elon Musk se separaram quando ele tinha 10 anos, e sua mãe teve vários empregos para conseguir criar seus filhos. Com pena de seu pai que tinha ficado sozinho na separação, Elon Musk resolveu se mudar para morar com ele, mas em uma entrevista, declarou que essa não foi uma boa ideia.

Com 17 anos, ele se mudou para o Canadá, e começou a estudar na Queen's University em Kingston no estado de Ontário. Ele foi estudar economia e física na Universidade da Pensilvânia. Em 1997, Musk recebeu dois diplomas de bacharel, um em física pelo College of Arts and Sciences e o outro em economia pela Wharton School.

Antes disso, em 1995, Elon Musk fundou um novo negócio ao lado do seu irmão Kimbal e de Greg Kouri, a Global Link Information Network, uma empresa que inicialmente ajudava outras empresas a criarem seus sites, mas que depois se especializou em ajudar jornais a criarem guias online de cidades.

Quando já era chamada de Zip2, a empresa foi vendida para a Compaq em fevereiro de 1999 por US$ 305 milhões, dos quais US$ 22 milhões foram para o bolso de Elon Musk, e US$ 15 milhões para seu irmão Kimbal. A compra foi feita para melhorar a ferramenta de busca Altavista, que era da Compaq.

A X.com e o PayPal - Crédito: Associated Press Crédito: Associated Press

A X.com e o PayPal

No mês seguinte da venda da Zip2 para a Compaq, Elon Musk usou US$ 10 milhões dos seus lucros para fundar a X.com, uma empresa de pagamentos online. Um ano antes, em 1998, a empresa Confinity foi fundada em em San Jose, Califórnia, por Max Levchin, Peter Thiel, Luke Nosek e Ken Howery. No ano seguinte, foi lançado o sistema de pagamentos eletrônicos PayPal.

Em 2000, a Confinity se fundiu com a X.com de Elon Musk, e a nova empresa decide focar seus esforços na sua ferramenta PayPal. Em 2000, Musk deixa de ser o CEO da X.com, e é substituído por Peter Thiel, mas segue como conselheiro da empresa. A X.com foi renomeada para PayPal em 2001, e teve seu capital aberto em 2002.

No mesmo ano, a PayPal foi vendida para o eBay por US$ 1,5 bilhão, gerando um lucro líquido de US$ 180 milhões para Elon Musk. Eventualmente, em 2014, a PayPal Holdings se separou da eBay.

SpaceX e a conquista do espaço - Crédito: spacex.com Crédito: spacex.com

SpaceX e a conquista do espaço

Em 2002, Elon Musk fundou a Space Exploration Technologies Corp., que teve seu capital aberto como SpaceX. A empresa foi fundada em 2002 com um investimento inicial de US$ 100 milhões da fortuna pessoal de Musk. A missão da SpaceX é transformar a humanidade em uma civilização espacial.

Com sede em Hawthorne, Califórnia, a SpaceX pode ser considerada a empresa privada de maior sucesso na nova corrida espacial. A empresa começou a se destacar na década passada, e obteve um grande sucesso em 2008, ao conseguir alcançar a órbita da Terra com seu foguete Falcon 1. Eles também foram os primeiros a lançarem, colocarem em órbita e recuperarem uma nave espacial, a Dragon, em 2010. Com ela, a empresa se tornou a primeira empresa privada a conseguir se acoplar com a Estação Espacial Internacional em 2012.

Em 2015, a SpaceX conseguiu recuperar pela primeira vez o primeiro estágio de um foguete, o primeiro a pousar na vertical. Em 2016, a empresa conseguiu pousar um foguete em uma balsa. No ano seguinte, a SpaceX também foi a pioneira em conseguir reaproveitar um foguete para uma nova missão orbital.

Em 2018, com o lançamento do Falcon Heavy, a SpaceX se tornou a primeira empresa a colocar um objeto na órbita do Sol, o Tesla Roadster que foi enviado como teste de carga. Esse ano, no dia 20 de maio, a SpaceX levou astronautas para a ISS com a Crew Dragon, em um momento histórico, com a missão Demo-2.

Elon Musk fez questão de recepcionar pessoalmente os astronautas em sua volta para a Terra. O sucesso da missão Demo-2 abriu as portas para os futuros voos turísticos da SpaceX, que devem acontecer a partir de 2021.

Nas palavras do próprio Musk, a prioridade número 1 da SpaceX agora é a Starship, com a qual espera poder um dia começar o processo de colonização de Marte. Depois de realizar o voo inaugural do protótipo Starship SN5 com sucesso, Musk planeja fazer um novo voo com o protótipo, seguindo a tradição da empresa de reaproveitar sempre que possível seus veículos, mas isso só deve ocorrer depois de um voo do próximo protótipo, a Starship SN6.

Outro projeto interessante da SpaceX é a Starlink, uma rede de satélites criada para oferecer acesso de banda larga ao redor do mundo. O polêmico projeto tem quase 600 satélites em órbita, mas já pediu autorização para lançar até 42 mil satélites.

Com toda a grandiosidade do projeto, ele tem recebido muitas críticas de astrônomos, que garantem que eles irão atrapalhar a visão do céu, assim como prejudicar a recepção de radiotelescópios, que terão um novo "ruído de fundo" em suas pesquisas, causado pela comunicação da constelação de satélites da SpaceX. Um fotógrafo teve seu registro do cometa Neowise prejudicado pelos satélites.

Os primeiros testes revelaram que a Starlink tem velocidades de download de 11 a 60 Mbps, mas com uma latência ainda distante da prometida por Elon Musk.

A SpaceX mais uma vez deixou a Blue Origin do rival Jeff Bezos para trás, ao vencer ao lado da ULA a concorrência para fazer os lançamentos das missões de segurança nacional dos Estados Unidos, que vão ocorrer entre 2022 e 2026. Musk aproveitou para criticar sua concorrente ULA por seus foguetes não serem reutilizáveis, dizendo que a empresa é um "desperdício de dinheiro".

Model S | Tesla - Crédito: tesla.com Crédito: tesla.com

A Tesla e a democratização dos carros elétricos

Fundada em 2003 por Martin Eberhard e Marc Tarpenning, a Tesla recebeu esse nome em homenagem ao inventor e engenheiro elétrico Nikola Tesla. No ano seguinte, Elon Musk entrou na sociedade já na primeira rodada de investimentos, ao aplicar US$ 6,3 milhões de sua fortuna pessoal.

O primeiro carro a ser lançado foi o Tesla Roadster, que tem um design feito em parceria com a Lotus, e que chegou ao mercado em 2008. A estratégia da Tesla era lançar primeiro um veículo mais caro e exclusivo, e com os lucros obtidos com ele, investir na produção de um modelo com valores mais acessíveis.

Em 2012, a empresa apresentou o Model S, que tinha uma autonomia de 483 km, e um tempo de carregamento reduzido. No mesmo ano, a Tesla começou a criar suas estações de carregamento SuperCharger. Em 2013, a Tesla lançou a sua primeira gigafábrica. Em 2015, a empresa apresentou o Model X, e em 2016, o Model 3.

O lucro obtido com a venda de carros mais caros foi usado para a criação do Model Y, um carro com um valor bem mais barato e acessível, e que foi lançado em 2019. No mesmo ano, a Tesla lançou a Cybertruck, uma picape elétrica com um design bem original.

Um estudo da Tesla mostra que suas novas baterias podem tornar viável a aviação elétrica urbana, com veículos elétricos de decolagem e aterrissagem vertical e um alcance de até 280 km. No ano passado, Elon Musk comentou no Twitter que em cerca de cinco anos, o uso de aeronaves urbanas elétricas será algo viável.

A empresa também está trabalhando em um app de caronas, feito para concorrer com Uber e Lyft nos Estados Unidos. Ele seria lançado com motoristas, mas a ideia é que no futuro os carros sejam controlados pelo sistema de piloto automático da Tesla.

Musk declarou que o sistema de piloto automático da Tesla deve dar um 'salto quântico' após reformulação que está sendo feita, e que deve chegar aos carros da montadora em até dez semanas.

Ele também garantiu que apesar da demora, o sistema de autenticação de dois fatores será implementado em breve no app da Tesla, aumentando a segurança dos carros da empresa.

The Boring Company

O trânsito de Los Angeles sempre foi visto por Elon Musk como uma grande perda de tempo. Para solucionar a questão, e tentar acabar com os problemas de congestionamento nas cidades, o empresário imaginou um sistema de túneis que pudesse reduzir o tempo entre deslocamentos. Para isso, ele criou uma empresa de perfuração de túneis, a The Boring Company.

O primeiro produto comercial a ser lançado, no entanto, não tinha qualquer relação com túneis, era um lança-chamas portátil chamado simplesmente de "Not-A-Flamethrower", ou "Não é um lança-chamas". Por conta desse produto, ele chegou a ser ameaçado de processo pelo irmão de Pablo Escobar, que teria feito um acordo não cumprido com a Tesla para o lançamento do equipamento.

O primeiro túnel cavado pela The Boring Company foi inaugurado no fim de 2018 com uma demonstração em Los Angeles. Este túnel teve um custo de US$ 10 milhões para ser escavado.

A empresa fechou contrato de US$ 49 milhões com a prefeitura de Las Vegas e já terminou o primeiro túnel que liga o Las Vegas Convention Center (LVCC) aos principais hotéis da cidade. A escavação de um segundo túnel da The Boring Company em Las Vegas foi concluída recentemente, e o próximo passo é criar as estações de passageiros em cada uma das extremidades dos túneis, além de uma terceira estação que deve ficar no meio do trajeto.

Com o LVCC Loop em ação, o tempo de translado entre os hotéis e o Centro de Convenções de Las Vegas deve ser reduzido de 15 para apenas 2 minutos. O sistema deve ter a capacidade de transportar até 4000 passageiros por hora, que seriam levados em carros Model 3 e Model X da Tesla, adaptados especialmente para o uso no LVCC Loop, além de um tipo de bonde capaz de levar de 12 a 16 passageiros de cada vez.

A expectativa é que o túnel construído em Las Vegas seja testado este ano, e esteja em operação no ano que vem. Assim, o túnel poderá ser usado na CES 2021, que está marcada para janeiro do ano que vem, um evento que deve acontecer com restrições e precauções de segurança por conta da Covid-19.

Além dos túneis intermunicipais que estão perto de começarem a ser operados em Las Vegas, Musk parece ter planos bem ambiciosos para ligar a cidade a Los Angeles através de um túnel da Boring Company. A indicação para isto vem dos equipamentos da empresa, que foram vistos em Adelanto, Califórnia, cidade que fica localizada mais ou menos na metade do trajeto entre as duas cidades, embora seja mais próxima de Los Angeles.

Em março desse ano, a The Boring Company apresentou a Prufrock, a escavadeira de terceira geração da empresa.

Hyperloop - Crédito: tesla.com Crédito: tesla.com

Hyperloop

Outra questão que incomodava Elon Musk era o tempo perdido em engarrafamentos e no trânsito, ou em viagens entre cidades não muito distantes. O empresário pensou em uma solução para reduzir o tempo de viagem entre cidades relativamente próximas, com uma distância de até 1500 km. Em 2013, Elon Musk apresentou seu plano para o Hyperloop, uma solução de transporte ultra rápida

O sistema de transporte com um tubo lembra o velho sistema de envio de documentos entre o mesmo prédio ou prédios vizinhos, com um grande ventilador que empurraria o veículo, mas como resolver a questão da fricção em uma viagem de tantos quilômetros?

A solução imaginada seria criar um tubo com baixa pressão de ar, e usar uma suspensão eletromagnética para fazer o trem praticamente flutuar, e assim, evitar o atrito. Na frente do trem, um grande ventilador que transfere a pressão do ar da frente para a traseira do veículo. Assim, o sistema lembra uma mesa de hóquei de ar ou air-hockey.

No lançamento, foi anunciado que um Hyperloop poderia alcançar até 1127 km/h, e assim poderia percorrer os 563 km entre Los Angeles e São Francisco em apenas 30 minutos. Desde o começo, Musk declarou que não queria construir o Hyperloop sozinho, ele apenas apresentou a solução para que outros empresários investissem na ideia.

O documento de quase 60 páginas está disponível para leitura no site da Tesla.

Além da Hyperloop de Elon Musk, existem outras empresas trabalhando na tecnologia de transporte ultra rápido, como a Hyperloop One e a Hyperloop TT, que não são de propriedade do empresário. Em 2018, a Hyperloop TT abriu um centro de pesquisas no Brasil, que fica em Belo Horizonte.

Recentemente, uma equipe liderada pelo estudante brasileiro construiu um protótipo de transporte a vácuo que chegou a 483 km/h, batendo o recorde de velocidade e ganhando um concurso bilionário da Hyperloop de Elon Musk

OpenAI - Crédito: openai.com Crédito: openai.com

OpenAI

Outra empresa fundada por Musk foi a OpenAI, que é uma empresa de pesquisas sobre inteligência artificial sem fins lucrativos. A ferramenta da empresa consegue gerar músicas inéditas em AI, com vozes e letras. Em 2018, Elon Musk se afastou da sociedade, mas continua a ser um dos investidores.

Um personagem sempre envolvido em polêmicas - Crédito: dnaindia.com Crédito: dnaindia.com

Um personagem sempre envolvido em polêmicas

Elon Musk também se destaca pelas de algumas declarações inusitadas, que quase sempre são a fonte de polêmicas. O próprio empresário já admitiu que costuma falar besteiras em seu perfil no Twitter, e que se pudesse, se retrataria de algumas postagens.

Em março, ele declarou que as faculdades são para se divertir, e não para aprender. No ano passado, ele reclamou que teria pouco dinheiro e nenhuma liquidez. Musk também não se leva muito a sério, e fez uma brincadeira se comparando com o vilão Hank Scorpio da série de animação Os Simpsons, que assim como ele, também usa um lança-chamas.

Uma das maiores polêmicas de Elon Musk no Twitter foi com relação ao mergulhador Vernon Unsworth, que participou do resgate de um time de futebol e seu treinador em uma caverna na Tailândia.

Depois de ser duramente criticado pelo mergulhador por ter criado um submarino para ajudar no resgate, que seria um "truque de relações públicas", que não teria "nenhuma chance de funcionar" e que ele deveria "enfiar o submarino onde dói", Elon Musk resolveu responder de forma ácida através do Twitter. Musk chamou Unsworth, e acabou sendo processado, apesar de ter pedido desculpas e apagado o post na rede social. Elon Musk acabou vencendo o processo.

Com relação a pandemia da Covid-19, Elon Musk infelizmente acabou tomando uma postura negacionista, que lhe custou fãs, embora nada que tenha atrapalhado os seus planos para o futuro. O empresário inclusive foi criticado por Bill Gates por sua postura negacionista em relação à pandemia.

Com toda a sua fama, ele é cercado de aproveitadores, que buscam dar golpes usando o seu nome. Recentemente, o nome de Elon Musk foi usado por hackers para aplicar golpes de roubo de criptomoedas. Esse ano, uma falsa transmissão da SpaceX foi usada pelos hackers para roubar Bitcoins no YouTube.

Apesar da sua postura em defesa da renda universal, ele postou um tweet falando que outro pacote de ajuda e estímulos governamentais não estaria nos melhores interesses do povo americano.

Ao ser questionado sobre uma suposta participação no que teria sido um golpe de estado aplicado pelo governo dos Estados Unidos na Bolívia, Elon Musk respondeu simplesmente "vamos dar um golpe em quem nós quisermos, lide com isso". O tweet foi usado pelo ex-presidente Evo Morales como uma prova do suposto golpe, que teria sido motivado por uma jazida de lítio no país.

três anos que os mineiros da Bolívia contam com a Tesla para comprar parte da produção de lítio do país para suas baterias. Em um tweet publicado logo depois, Elon Musk declarou que a Austrália fornece atualmente a maior parte do lítio usado pela Tesla.

Em uma entrevista ao New York Times, Musk falou sobre sua recente paternidade e a relação com sua esposa Grimes, e chegou a ser comparado a Steve Jobs por Ashlee Vance, que é o seu biógrafo. Na entrevista, ele disse que tem "muitas ideias, mais ideias do que consigo agir em cima. Eu tenho a tendência a morder mais do que posso mastigar, e então eu simplesmente fico ali com bochechas de esquilo."

Na entrevista também é citado o seu tweet com uma foto do filme Matrix, e uma legenda sobre "tomar a pílula vermelha", que inclusive deu origem a uma resposta do presidente Trump. A resposta da cineasta Lilly Wachowski, criadora do filme, foi simplesmente um xingamento.

Outro dia, ele brincou dizendo que as pirâmides do Egito teriam sido construídas por alienígenas, e recebeu uma resposta bem humorada de uma ministra do país, que o convidou para conhecê-las pessoalmente.

Por conta das polêmicas, ele de vez em quando decide se afastar do Twitter, mas logo volta, pois não consegue ficar muito tempo longe da rede social. Apesar disto, ele continua com o número de inscritos aumentando, e atualmente, é seguido por mais de 38 milhões de pessoas no Twitter.

Confira essas e outras curiosidades sobre Elon Musk neste post. Neste outro texto, reunimos praticamente tudo o que aconteceu com Elon Musk em sua vida pessoal na última década.

O lado nerd

Elon Musk também é um reconhecido nerd, que vive homenageando suas referências de cultura pop em diferentes detalhes de suas empresas e projetos, a começar pelo nome dos foguetes Falcon da SpaceX, uma clara homenagem à nave Millennium Falcon de Star Wars, ao lado do número de motores.

A Dragon (Cargo e Crew) tem esse nome por causa da música Puff, The Magic Dragon, do trio Peter, Paul & Mary, lançada em 1963. O novo foguete Starship foi antes chamado de BFR (Big F... Rocket), uma referência a uma arma do jogo Doom, a BFG-9000 (Big F... Gun 9000).

Elon Musk é fã da série de livros Fundação de Isaac Asimov, e acredita que a exploração espacial pode ajudar os seres humanos a preservarem a nossa civilização. Quando colocou o Tesla Roadster em órbita, como a carga de testes do primeiro lançamento do Falcon Heavy, Elon Musk caprichou, mostrando a mensagem "Don't Panic" no painel do carro, uma referência aos livros O Guia do Mochileiro das Galáxias de Douglas Adams. Além disso, a música usada foi Space Oddity, de David Bowie.

A Cybertruck da Tesla também teria sido inspirada nos veículos do filme Blade Runner de Ridley Scott. Para completar, seu filho recém-nascido com a cantora Grimes, que teria sido batizado de X Æ A-12 Musk. Para quem estiver curioso para saber como se pronuncia esse nome, o próprio Elon Musk mostra em um vídeo.

Créditos

Texto:
Nick Ellis

Conceito:
Eduardo Nuvens

Mais especiais