ByteDance negocia com empresa indiana para salvar TikTok no país

Tensões entre China e Índia resultaram no banimento do aplicativo de vídeos em seu maior mercado fora de seu país de origem

Vinicius Szafran, editado por Fabiana Rolfini 13/08/2020 16h47
TikTok
A A A

A gigante chinesa ByteDance, dona do TikTok, iniciou conversas com a indiana Reliance Industries para apoiar a continuidade de sua marca na Índia. O movimento pode ser visto como uma tentativa de salvar o destino do popular aplicativo de vídeo em seu maior mercado.


Após tensões geopolíticas entre China e Índia, o TikTok acabou banido no país vizinho no dia 29 de junho. O governo indiano bloqueou o app de vídeos curtos e outros 58 aplicativos chineses por problemas de segurança e privacidade.

A Índia era o maior mercado do TikTok fora da China, superando os 200 milhões de usuários. A ByteDance emprega duas mil pessoas no país, porém seu destino depende da capacidade da empresa de convencer o governo indiano a permitir sua operação, ou então de vender sua marca no país.

As conversas entre a Reliance e a ByteDance começaram no fim de julho, mas ainda não chegaram a um acordo, segundo fontes informaram ao TechCrunch. Uma das fontes afirmou que os negócios do TikTok na Índia são avaliados em mais de US$ 3 bilhões. Nenhuma das empresas se manifestou sobre as conversas.

Reprodução

ByteDance tenta manter seus negócios na Índia. Imagem: Reprodução

 

Interesse na empresa indiana

Um investimento no TikTok poderia ajudar a Reliance, gigante do petróleo para o varejo e a empresa mais valiosa da Índia, a se conectar mais profundamente com seus consumidores. A Reliance também opera a Jio Platforms, uma empresa de telecomunicações.

Mesmo que a Jio Platforms já acumule mais de 400 milhões de usuários na Índia em menos de quatro anos de existência, seus aplicativos voltados para o consumidor final têm sofrido para reter o público.

Desde o fim de abril, o empreendimento digital da empresa levantou cerca de US$ 20 bilhões de 13 investidores de alto perfil, incluindo Google e Facebook. O Google diz que trabalhará com a Jio Platforms para lançar uma versão personalizada do Android para smartphones de baixo custo. Já o Facebook se dispôs a colaborar com a Reliance para ajudar na digitalização de 60 milhões de pequenas e médias empresas indianas.

Reprodução

TikTok foi banido na Índia e nos EUA, dois de seus maiores mercados. Imagem: Reprodução

Em paralelo, a ByteDance conversa com a Microsoft para vender seus negócios em alguns mercados, como nos EUA. O Financial Times informou na semana passada que as duas empresas ampliaram o escopo do negócio para incluir também o TikTok em outros mercados, como Europa e Índia.

A Reliance é de propriedade do homem mais rico da Índia, Mukesh Ambani, aliado do primeiro-ministro indiano Narendra Modi. Portanto, qualquer acordo fechado pela ByteDance pode ajudar a empresa a diminuir suas preocupações.

Dezenas de startups locais lançaram aplicativos autônomos ou recursos integrados para replicar a experiência do TikTok aos usuários. Esses apps alegam ter conquistado dezenas de milhões de novos usuários recentemente.

O próprio Facebook viu o engajamento diário em sua rede de serviços aumentar 25% com o recurso Reels no Instagram, após a proibição do TikTok.

Via: TechCrunch


Google Android Facebook China instagram tiktok Índia bytedance
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você