Empresária de 29 anos cria luz sem eletricidade

Ideia inovadora pode ser considerada uma solução sustentável para ajudar no combate às mudanças climáticas e reduzir a dependência da eletricidade

Fabrício Filho, editado por Liliane Nakagawa 04/10/2019 18h10
Empresária de 29 anos cria luz sem eletricidade
A A A

Sandra Rey, 29, teve a ideia de produzir luz sem eletricidade em um concurso de design para estudantes, cujo tema era "biologia". Ao assistir vídeos no YouTube de criaturas marinhas bioluminescentes, pensou em utilizar o brilho natural para produzir luz sem utilizar eletricidade. Cinco anos depois, sua startup Glowee cria instalações de arte luminescente para hotéis e espaços públicos.


O sistema de iluminação precisa de manutenção constante, pois a luz se origina exclusivamente de bactérias marinhas vivas, que precisam ser alimentadas para brilharem. Ao privar as bactérias do oxigênio, elas param de emitir luminosidade e as luzes se apagam. Rey admite que sua invenção não pretende tomar o lugar de instalações elétricas, mas ajudar a reduzir sua dependência. 

 A empresária disse que no começo precisou esperar cerca de 15 minutos em uma sala escura para começar a ver a luz. Desde então, ela levantou fez grandes progressos. "Nós meio que aumentamos cerca de 200 vezes mais agora e mais nos últimos doze meses", diz ela.

Rey arrecadou cerca de € 3,5 milhões, grande parte via crowdfunding. Hoje, ela conta com mais de 800 investidores individuais. Cyprien Comarmond, CEO da Mon Concept Habitation UK e consultor da Glowee, um dos primeiros a apostar na inovação e investir na empresa, disse que a luz pode ser benéfica para reduzir a emissão de carbono, o que, consequentemente ajudaria no combate às mudanças climáticas.

"A Glowee tem um enorme impacto no meio ambiente criando luz sem eletricidade, o que significa menos poluição, pois não utiliza usinas nucleares ou fábricas de carvão; reduz a pegada de carbono da luz usando material orgânico cru e, além disso, cria uma atmosfera acolhedora e zen", afirmou o empresário. 

Rey também acredita que esta possa ser uma solução viável para ajudar nas questões ambientais. "A bioluminescência é uma maneira de fornecer uma solução sustentável e combater o aquecimento global, reduzindo o uso de recursos naturais limitados, a produção global de resíduos e os diferentes tipos de poluição", disse. 

A principal fonte de receita da Glowee são os eventos. A startup já vendeu mais de 10 mil unidades para instalações artísticas. Além disso, também começou a fornecer instalações permanentes para hotéis e spas. Nos próximos dois ou três anos, Rey espera instalar sua luz bioluminescente em cidades e ambientes externos. 

 

 Via: Forbes

 

 
 
Aquecimento global Youtube Eletricidade startup carbono mudanças climáticas oxigênio
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!

Recomendados pra você