Android 10

Google quer que Android use o kernel padrão do Linux; entenda o benefício

Renato Santino 20/11/2019 16h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Proposta poderia acelerar atualizações do sistema operacional e reduzir trabalho do Google e fabricantes de celulares e componentes

Você que é um entusiasta do Android provavelmente já sabe que o sistema operacional é construído sobre o kernel do Linux desde seu nascimento. No entanto, ele ainda é bastante modificado pelas partes envolvidas na produção do celular, como as fabricantes, as companhias que desenvolvem chips e o próprio Google. Agora, a empresa decidiu levar a sério uma proposta de aproximar os dois kernels.


Como relata o site Ars Technica, engenheiros do Google revelaram o projeto durante a Linux Plumbers Conference. Segundo eles, há grandes ganhos em tentar unificar o kernel convencional do Linux com o Android, reduzindo o trabalho das empresas envolvidas e do próprio Google.

A primeira parte desse processo é incorporar as modificações feitas ao kernel do Linux no Android ao kernel principal. Em fevereiro de 2018, o núcleo do Android registrava mais de 32 mil inserções e mais de 1.500 remoções na comparação com a versão padrão. Essa base ainda recebe outras modificações por parte dos fabricantes.

Para o usuário comum, no entanto, também haveria um ganho importante se o projeto tiver o sucesso que o Google almeja. Ao incorporar o Project Treble, ferramenta lançada em 2017 que “isola” o centro do Android de drivers específicos de cada dispositivo, ao kernel principal do Linux, a expectativa é que não haja mais a necessidade de kernels específicos para cada aparelho. Na prática, isso permitiria agilizar consideravelmente as atualizações do sistema operacional, que ainda são um transtorno para empresas e usuários.

O Google também aproveitou a apresentação para demonstrar o progresso feito até o momento. No palco foi demonstrado um Pocophone, celular da Xiaomi, rodando o Android 10 com o kernel principal do Linux. Ao que tudo indica, vários recursos ainda estavam desabilitados, o que pode ser deduzido pelo fato de que o mostrador de bateria marca 0% de carga, mas o objetivo era demonstrar que o celular já é capaz de ligar com o novo kernel.

Reprodução

Agora é esperar para ver como esse projeto se desenvolve ao longo dos próximos anos. Planos em fase inicial como a integração dos kernels do Android e do Linux podem não ir para frente se o Google perceber que o esforço não vale a pena.

Também é importante notar que o Google está há alguns anos trabalhando no misterioso Fuchsia, um sistema operacional com um kernel próprio, não-baseado em Linux. O Google ainda não abriu o jogo sobre qual seria a finalidade do sistema, mas especula-se que ele poderia ser um substituto do Android como conhecemos atualmente em um futuro não muito distante.

Google Linux Android Android 10
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você