Intel

Intel pretende tirar foco da empresa das CPUs

Fabrício Filho, editado por Cesar Schaeffer 31/10/2019 17h20
Compartilhe com seus seguidores
A A A

A Intel observa mais potencial em investimentos em armazenamento, software, rede, IA e data center. Além disso, a empresa disse aos investidores que as metas de 10 nm foram cumpridas

A Intel revelou aos seus investidores na semana passada que os avanços no processo de fabricação de processadores de 10 nanômetros. Além disso, a reunião sobre o último trimestre da empresa sinalizou que a Intel pretende mudar seu foco e ir para além das CPUs, explorando outras áreas da tecnologia


Desde 1991, o icônico logotipo "Intel Inside" se refere à CPU do computador, tornando a empresa conhecida pela fabricação do produto desde então. No entanto, a Intel parece estar querendo mudar de prioridade, observando mais potencial em investimentos em armazenamento, software, rede, inteligência artificial e data center.

Isso não significa que a Intel pretende sair do ramo de CPU, apenas mudar seu foco. A TAM - Mercado Endereçável Total, ou a receita máxima, estima que todo cliente em potencial comprou um produto Intel de sua linha tradicional de CPU para PC e servidor, avaliando a quantia total em US$ 52 bilhões. No entanto, a Intel vê um potencial adicional de US$ 220 bilhões da TAM no que chama de produtos "centrados em dados" nos segmentos de mercado de data center, internet das coisas e redes.

A empresa pretende continuar fazendo suas apostas mais pesadas em áreas como armazenamento Optane, aceleração de inteligência artificial de hardware, modems 5G e redes de data center. Dados mostrados em uma reunião de investidores do segundo trimestre reforçaram o compromisso de inovação. Eles mostraram o potencial da empresa de não adotar apenas uma estratégia de "proteção e defesa", mas sim de crescimento. 

A Intel mostra que seu novo mercado "centralizado em dados" já está alcançando o seu mercado tradicional centralizado em PC, com quase 50% da receita do terceiro trimestre derivada de produtos da nova área. A maior parte do lucro operacional também retorna dos novos mercados, ultrapassando o tradicional. Com maior crescimento e margens em novos empreendimentos, os consumidores podem esperar que a Intel cumpra sua intenção de relaxar sua posição protecionista no mercado de CPU e seguir novos rumos. 

Via: Ars Technica

Intel Tecnologia Inteligência Artificial internet das coisas cpu
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você