headset Razer Nari Ultimate

Review do headset Razer Nari Ultimate: que tal ter um subwoofer em cada ouvido?

Rene Ribeiro 16/05/2019 08h00
Compartilhe com seus seguidores
A A A

Usando tecnologia da Lofelt, empresa especializada em produzir sensores táteis (ou hápticos), esse headset vibra conforme os graves da música ou do jogo. Ele literalmente faz sua cabeça tremer.

Imersão parece ser a palavra do momento. São monitores de vídeo curvos que ajudam a manter o foco no conteúdo, óculos de realidade de virtual que nos levam a outros mundos e até mesmo joysticks que respondem com força de acordo com o movimento do carro ou da aeronave.


E até pensei um dia ver essa tecnologia em mouses, que vão se saculejar de acordo com cada ação do jogo. Mas a Razer, tradicional fabricante de acessórios para games, optou por uma abordagem diferente: fones de ouvido.

O Razer Nari Ultimate  é capaz de dar um toque físico aos seus graves, em tempo real, graças a um par de atuadores hápticos ou, que vibram e passam a sensação física do som, no caso, dos graves. É como ter um par de subwoofers para seus ouvidos, sacudindo seu crânio com cada batida percussiva. E sabe de uma coisa? Chega a ser divertido. Acompanhe o review para saber tudo sobre esse modelo de Headset da Razer.

Headset Razer Nari Ultimate: design e conforto

Com alto-falantes de 50 mm de diâmetro e almofadas de 2,5 cm de espessura, esse modelo que que cobre toda a orelha é muito robusto. O revestimento das almofadas é feito em couro sintético, que parece ser de qualidade, mas é fino, o que me deixa na dúvida em dizer se esse tipo de revestimento teria uma longa vida. O que me deixa mais tranquilo é que a Razer tem reputação em fazer produtos de alta qualidade.

Reprodução

Felizmente, a porção que está realmente fazendo contato com a pele é feita de um material diferente, um tecido microporoso e as almofadas contém um gel que absorvem o calor. Eu me senti bastante confortável durante o uso, sem aquecer as orelhas ou parte da cabeça. Só recomendo uma limpeza cuidadosa no tecido se você transpirar com muita frequência.

A construção geral desse headset é ótima. A parte que envolve os alto-falantes é feita em plástico muito resistente, com as laterais cobertas por uma malha de metal e o símbolo da empresa no centro que acende na cor verde quando em uso (é possível deixar apagado na configuração por software).

Reprodução

O arco é feito em alumínio escovado e é bastante flexível, de forma a poder se ajustar e fazer leve pressão na cabeça, o suficiente para os alto-falantes não ficarem soltos. Diferente de outros headsets, o Nari Ultimate não tem ajuste da haste. A espuma de cima, com 1,5 cm de espessura, que fica abaixo do arco de alumínio, se ajusta automaticamente quando colocamos o fone na cabeça. Ela sim, tem uma haste que se move para fazer esse ajuste.

É um sistema simples, que funciona muito bem e, por isso é engenhoso. Ele se ajustou confortavelmente em minha cabeça, quanto na cabeça da minha filha, que tem 8 anos de idade e usou o fone um bom par de horas assistindo desenhos na Netflix.

O microfone é do tipo embutido, como em outro headset da Razer, o Kraken Tournament Edition. É um sistema interessante, já que não deixa o microfone pendurado e ajuda a conservá-lo por mais tempo, pois, quando não está em uso, basta empurrá-lo para dentro.

Headset Razer Nari Ultimate: botões e conexões

No fone direito há um botão giratório para controle de volume. Isso é bem legal, pois é possível deixar os volumes dos dispositivos do Windows no máximo e ficamos somente preocupados em ajustar um único botão no fone. E ele fica bem posicionado, sendo operado com conforto. Como esse headset pode ser utlizado sem fios, há uma cavidade no fone direito em que permite ser guardado o transmissor USB, que faz a comunicação entre o computador e o fone.

Nesse ponto vale dizer que é preciso muito cuidado para não perder esse transmissor USB. Ele mede apenas 1,5 cm por 1 cm e, em caso de perda, não é possível apenas comprar outro, já que é comercializado em par com cada headset, tendo ligação única com o headset.

Reprodução  

No fone esquerdo ficam todos os outros botões e conectores. Há o botão para deixar o microfone no mudo ou ligá-lo; em seguida, um botão giratório para dar equilíbrio entre o áudio do chat e o som do jogo. Por fim temos o botão para ligar o sensor hypersense, para dar o retorno de vibração.

Reprodução

Alinhados com os botões, estão os conectores micro USB, para carregar a bateria e o conector P2 para usar o headset no conector P2 do notebook, smartphone ou qualquer outro dispositivo. A tecnologia Hypersense funciona também com o cabo P2, porém, não é possível controlar a intensidade e nem usufruir do som padrão THX, que fornece uma simulação de áudio em 360 graus.

Headset Razer Nari Ultimate: desempenho

A tecnologia háptica utilizada nos fones  possui uma surpreendente qualidade. A Razer  conseguiu esse feito em parceria com a Lofelt,  e a cereja do bolo é que os atuadores não precisam de software para funcionar -  eles podem injetar essas boas vibrações de qualquer dispositivo. Assim, enquanto você obtém a liberdade de usar o fone sem fio com o transmissor USB que acompanha o produto, também é possível conectar o headset a um conector P2 de 3,5 mm e obter o efeito de vibração.

O efeito passa de um fone para o outro, seguindo os sons. Se em jogo passar um avião da esquerda para a direita da tela, por exemplo, o ruído do avião vai produzir uma vibração na orelha esquerda passando para a orelha direita e a cabeça sente as vibrações. A sensação é de uma imersão maior do que o normal e funciona como um diferencial para uma diversão mais abrangente. Traduzindo: é divertido.

Eu usei o jogo Call of Duty: WWII e notei que o som de armas ficam mais próximos, mais potentes, apenas com diferenciais em metralhadoras, pois são muito rápidas e o áudio acaba sendo um som grave sem muito efeito especial no áudio, mas fazendo tremer a cabeça. Armas de tiro único produzem um efeito melhor, mais preciso. Além do som mais realista, o estrondo com o fone temendo é realmente uma experiência interessante para jogar.

Reprodução

No mais, o áudio é muito bom, usa tecnologia THX para som espacial e produz sons graves e agudos bastante destacados, assim como o Razer Kraken Tournament Edition. Portanto, se não faz questão de entrar dentro do jogo, ou não é um aficionado por games, é melhor economizar um pouco e escolher o Kraken do que comprar o Razer Nari Ultimate, pois ele é muito caro. Em pesquisas em sites online, até a data de publicação desse review, o Razer Nari Ultimate tinha preço médio de R$ 1.100.

Headset Razer Nari Ultimate: Conclusão

Esse headset tem como diferencial o efeito háptico, que é de transmitir vibração de acordo com o som produzido no jogo, no filme ou em músicas. Logicamente, o efeito é melhor sentido e experimentado em jogos, onde há mais elementos para provar o efeito. Armas, veículos, explosões, até mesmo barulho produzido por vento nos jogos, são passados para os atuadores de vibração e tornam os sons graves mais presentes fisicamente.

É bem interessante ele não precisar de software para isso. E como o Razer Nari Ultimate pode ser utilizado sem fio (ele acompanha um transmissor USB para comunicação com o computador) e também com cabo com conector P2 (cabo acompanha o produto), o efeito pode ser produzido de qualquer dispositivo, tanto de videogame, como PC ou celular.

Usando o transmissor USB há a vantagem do software, que pode ajustar a sensibilidade da vibração e também equalização do som, além do recurso THX, que aproveita o som em 360 graus, coisa que a maioria dos jogos sofisticados fazem uso. O ponto negativo é que o preço é elevado e, também, se perder o transmissor USB, não é possível comprar outro, pois o pareamento é único para cada fone comercializado.

Headset Razer Nari Ultimate: ficha técnica

Visão rápida

  • Razer HyperSense

  • THX Spatial Audio

  • Almofadas auriculares com gel

  • Desempenho sem fio sem atrasos

  • Equilíbrio entre jogo/bate-papo

Fones de ouvido

  • Resposta de frequência: 20 Hz – 20 kHz

  • Impedância: 32Ω a 1 kHz

  • Sensibilidade (@1 kHz): 107 ± 3 dB

  • Potência de entrada: 30 mW (máx.)

  • Drivers: 50 mm, com ímãs de neodímio

  • Diâmetro interno da concha auricular: 56 mm de largura/67 mm de comprimento

  • Almofadas auriculares ovais: Projetadas para cobrir completamente as orelhas com gel refrescante, perfeitas para um conforto prolongado

  • Tipos de conexão: Transceptor USB sem fio ou analógico de 3,5 mm (cabo acompanha produto)

  • Alcance sem fio: 12 metros

  • Frequência sem fio: 2,4 GHz

  • Conexão analógica: 4 polos

Microfone

  • Resposta de frequência: 100 – 6,5 kHz

  • Relação sinal-ruído: > 50 dB

  • Sensibilidade (@1 kHz): -42 ± 3 dB

  • Padrão de captação: Unidirecional

Drivers hápticos Lofelt L5

  • 1 em cada concha auricular

  • Resposta de frequência: 20 Hz – 200 Hz

  • Força máxima gerada: 4,3 G

  • Processamento de Sinais Digitais Inteligente

Requisitos do sistema

  • PC com porta USB; PlayStation 4

  • Windows 10 / Window 8 / Windows™ 7

  • Conexão com a internet para instalação do software

  • Pelo menos 500 MB de espaço livre em disco rígido


review Razer Headphone Fones de ouvido headset fone de ouvido
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você