Correios

Compra Fora: vale a pena usar o serviço de importação dos Correios?

Renato Santino
Compartilhe com seus seguidores
A A A

No final de janeiro, os Correios lançaram um serviço chamado Compra Fora para ajudar na importação de produtos para uso pessoal. É uma plataforma voltada para quem quer, por exemplo, comprar um jogo não lançado por aqui, ou então aproveitar um preço melhor por um celular. Mas será que esse serviço vale a pena?

A ideia da plataforma é servir como um intermediário nas compras internacionais. Ao solicitar o Compra Fora, o usuário recebe um endereço nos EUA para receber encomendas. De lá, os pacotes são encaminhados para o Brasil e chegam ao comprador.

A principal vantagem dele é definir o valor do produto na hora da compra: o Compra Fora calcula o valor do frete dentro dos Estados Unidos, o envio para o Brasil, os impostos de importação e o transporte dentro do Brasil na hora da compra.

Assim, o consumidor já sabe quanto exatamente vai gastar logo de cara, sem correr risco de ter uma surpresa desagradável na taxação pela Receita Federal na hora que a encomenda entra no Brasil. O pagamento precisa ser feito com cartão de crédito internacional.

Mas será que vale a pena fazer compras com ajuda do novo serviço dos Correios? Compensa comprar produtos em sites americanos e usar pedir para o Compra Fora trazer para cá? O Olhar Digital já fez algumas simulações com produtos da Apple e elas se mostraram vantajosas do ponto de vista financeiro. Mas e com eletrônicos de outras marcas? Ainda vale a pena usar o serviço? Confira o que observamos:

-> Compra Fora: prós e contras de usar o novo site de importação dos Correios
-> Como rastrear encomendas no site dos Correios

Galaxy Note 9

Reprodução

O aparelho da Samsung é um dos contrapontos ao iPhone XS Max em termos de preço, configurações e acabamento premium. Durante nossas pesquisas, o aparelho foi encontrado por US$ 730 na Amazon dos EUA, o que faz com que ele seja consideravelmente mais barato do que um iPhone novo no país.

Trazê-lo ao Brasil pelo serviço dos Correios, no entanto, não é uma boa ideia. O aparelho custaria mais de R$ 4.500, quando o mesmo modelo, comprado diretamente no Brasil, com garantia nacional, pode ser adquirido por cerca de R$ 3.600.

Reprodução

Surface Book 2

Reprodução

O Surface Book se tornou um dos produtos mais interessantes para quem procura notebooks com Windows por unir desempenho e design. O aparelho tem um problema: não está disponível no Brasil de forma oficial.

O modelo que orçamos tinha processador Intel Core i5, 8 GB de memória RAM e 256 GB de armazenamento, com tela de 13,5 polegadas. Seu preço nos EUA seria de US$ 1.300; pelo serviço de importação dos Correios, no entanto, esse valor sobe para R$ 8.000. No Mercado Livre, a versão mais barata que encontramos custa R$ 8.500, mas a maior parte custa mais de R$ 10 mil.

Reprodução

Surface Pro 6

Reprodução

O Surface Pro 6 é a opção de tablet híbrido da Microsoft mais acessível do que o Surface Book 2, que é um notebook mais próximo de um formato convencional. Ele também não está disponível no Brasil.

Orçamos a versão com processador Core i5 e 8 GB de memória RAM e 128 GB de armazenamento interno. Nos EUA, ele custa US$ 890. Com o serviço de importação dos Correios, ele custaria R$ 5.600. Para comparação, no Mercado Livre, o produto custa algo na casa de R$ 6.900.

Pixel 3 XL

Reprodução

O Pixel 3 XL é um dos smartphones mais interessantes que não está disponível no Brasil, ainda que seja bastante caro. O aparelho tem provavelmente a melhor câmera entre todos os smartphones, o que o torna bastante atraente para o público em geral.

Nos EUA, sua versão de 128 GB custa US$ 900. E quanto isso vira quando usamos o serviço dos Correios? A simulação aponta um preço de R$ 5.560, o que não é muito barato. É possível encontrar opções mais baratas no Mercado Livre, com opção de parcelamento. Não vale a pena.

Reprodução

Nintendo Switch

Reprodução

Por não estar disponível no Brasil, o Nintendo Switch é um dos produtos mais procurados no esquema “um amigo trouxe dos EUA para mim”. O console caiu na graça do público e rapidamente disparou para o topo dos mais vendidos por todo o planeta.

Nos EUA, o console custa US$ 300. Ao utilizar o serviço dos Correios, a importação custaria R$ 1.940 segundo a nossa simulação. É um preço um pouco mais caro do que o encontrado no Mercado Livre, por exemplo, e ainda com a desvantagem de não permitir parcelamento.

Reprodução

Xbox One X

Reprodução

O Xbox One X é a opção do jogador que gosta de gráficos o mais fotorrealistas possíveis; o console é, sem qualquer dúvida, a alternativa mais potente e, desta forma, é aqui que estão os melhores gráficos.

Na melhor oferta que encontramos para o Xbox One X, o console pode ser adquirido por US$ 400. Na nossa cotação no site dos Correios, isso ficou equivalente a R$ 2.550. É bem próximo do valor do valor cobrado no Mercado Livre e praticamente igual ao valor dos revendedores oficiais no Brasil, que ainda dão opção de parcelamento.

Reprodução

PS4 Pro

Reprodução

Outro console bastante popular entre os importadores, roda todos os jogos do PS4 oferecendo poder computacional extra para melhorar taxa de quadros e resolução de muitos games da plataforma.

Seu preço oficial no exterior é de US$ 400. Nos nossos testes, o produto foi orçado em R$ 2.640 pelo serviço dos Correios, o que também é muito próximo dos valores cobrados no mercado brasileiro, que tem condições de pagamento mais vantajosas para quem não pode desembolsar esse valor à vista.

Reprodução

correios
Compartilhe com seus seguidores
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você