Zona do euro - criptomoeda

Zona do Euro se mobiliza para lançar moeda digital pública

Bruna Lima, editado por Rafael Rigues 16/09/2019 15h21
Compartilhe com seus seguidores
A A A

O bloco intensificou seus trabalhos após anúncio da Libra, iniciativa do Facebook que pode se tornar um risco à estabilidade financeira da região

Autoridades informaram na última sexta-feira (13) que governos e bancos centrais da zona do euro estão se mobilizando em um plano de longo prazo para lançar uma moeda digital pública. A Reuters informou que o objetivo é tornar redundante projetos como a Libra, do Facebook, que são vistos como um risco à estabilidade financeira do bloco.


Além disso o bloco, que é formado por 19 países, também está considerando um conjunto de regras para as criptomoedas, que atualmente não são regulamentadas. Eles esperam que, através de uma abordagem regulatória rígida, moedas virtuais, como a Libra, busquem autorização para operar na Europa.

Nos últimos anos vários planos elaborados pela União Europeia para tornar pagamentos digitais mais baratos e rápidos acabaram sendo criados, entretanto, nenhum deles se tornou efetivo e está em prática até o momento. Um motivo para retomar os trabalhos e reconsiderar a forma de atuação foi o anúncio da moeda do Facebook em julho.

“A Libra foi um alerta”, disse o membro do conselho do Banco Central Europeu (BCE), Benoit Coeure, em entrevista coletiva em Helsinque, após uma reunião de ministros das finanças da zona do euro. De acordo com ele, a Libra reviveu medidas que ampliam a aceitação de um projeto apoiado pelo BCE para pagamentos em tempo real na zona do euro, conhecido como TIPS.

“Também precisamos intensificar nosso pensamento sobre uma moeda digital do banco central”, acrescentou, revelando um plano até agora pouco conhecido.

Outro funcionário do BCE afirmou que os planos são de elaborar um projeto que permita o uso do dinheiro virtual sem que haja a necessidade de contas bancárias, intermediários financeiros ou contrapartes compensadoras. Nesse caso, o Banco Central seria o intermediador das transações e o valor seria depositado diretamente nele.

O projeto se iniciou antes do anúncio da criptomoeda do Facebook e não tem um prazo específico para durar, podendo permanecer meses e até anos em desenvolvimento. Agora o BCE foca nos estudos de viabilidade técnica. Se a instituição tiver sucesso, os atores necessários para realizar um pagamento digital não serão mais fundamentais e os custos de cada transação tendem a ser reduzidos.   

Via: Reuters

Facebook Europa moedas virtuais criptomoedas Libra Zona do euro
Compartilhe com seus seguidores
Você faz compras Online? Não deixe de conferir a nova extensão do Olhar Digital que garante o preço mais baixo e ainda oferece testadores automáticos de cupons. Clique aqui para instalar.

Recomendados pra você