CEOs da Apple, Google, Amazon e Facebook depõem no Congresso dos EUA

Nesta quarta (29), os executivos das maiores empresas de tecnologia do mundo terão a oportunidade de apresentar seus lados nas investigações sobre práticas de monopólio no setor

Renato Mota 28/07/2020 13h07
Tim Cook, Sundar Pichai, Jeff Bezos e Mark Zuckerberg
A A A

Mark Zuckerberg, Jeff Bezos, Tim Cook e Sundar Pichai, os CEOs do Facebook, Amazon, Apple e Google, comparecerão nesta quarta-feira (29) perante o Subcomitê do Poder Judiciário da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos para debater sobre supostas práticas de monopólio das empresas de tecnologia.


Será um dia histórico para o setor: juntas, as quatro empresas valem um total de US$ 4,85 trilhões (e são administradas por dois dos indivíduos mais ricos do mundo). Há alguns anos, autoridades reguladoras vêm apontando indícios de práticas adotadas pelas companhias que podem ter o intuito de suprimir a concorrência.

"Desde junho do ano passado o subcomitê investiga o domínio de um pequeno número de plataformas digitais e a adequação das leis e aplicação antitruste existentes", afirmou Jerrold Nadler, presidente do Comitê Judiciário da Câmara.

Para o presidente do Subcomitê de Antitruste, David Cicilline, "dado o papel central que essas empresas desempenham na vida do povo norte-americano, é fundamental que seus CEOs sejam transparentes. Como dissemos desde o início, seu testemunho é essencial para concluirmos essa investigação".

A audiência dará a oportunidade aos deputados questionarem os executivos antes da divulgação dos resultados das investigações feitas ao longo dos anos sobre a prática antitruste. É a primeira vez que os quatro representares estarão juntos testemunhando no Congresso – mesmo que não estejam fisicamente próximos por conta da pandemia. Os CEOs devem aparecer virtualmente para a sessão.

Durante uma audiência em comitê em janeiro, empresas menores reclamaram das práticas comerciais desleais. O CEO da Sonos, Patrick Spence, disse aos deputados que o Google tentou restringir as inovações de sua empresa e que queria ter uma ideia dos futuros planos de produtos da Sonos. A Sonos processou o Google, alegando que a empresa roubou sua tecnologia de alto-falante sem fio.

Também em depoimento, David Barnett, CEO da PopSockets, criticou a Amazon por ignorar questões sobre falsificações que ele havia levantado por meses, intimidando-o a baixar seus preços. "Existe um poder tão dominante nessas empresas que, mesmo sendo uma empresa do nosso tamanho, você sente que não tem escolha", disse Spence.

As investigações acumulam centenas de horas de entrevistas e mais de 1,3 milhão de documentos sobre Amazon, Apple, Facebook e Google. A Amazon é acusada de abusar de seu papel de varejista e de plataforma que hospeda vendedores de terceiros. A Apple foi acusada de usar injustamente sua influência sobre a App Store para bloquear rivais e forçar os aplicativos a pagar altas comissões. Facebook é suspeito de manter um monopólio das redes sociais. A Alphabet, empresa controladora do Google, está lidando com várias alegações antitruste por causa do domínio do Google em publicidade on-line, pesquisa e software para smartphone.

A audiência encerra uma investigação de 13 meses pelo subcomitê da Câmara, e poderá fornecer pistas para outros casos antitruste contra as empresas. A Comissão Federal de Comércio, por exemplo, está se preparando para receber um depoimento de Zuckerberg e outros executivos do Facebook em sua investigação sobre rede social. O Departamento de Justiça tem um caso preparado contra o Google e vem avançando em uma investigação da Apple.

Via: New York Times/CNet

Google Apple Amazon Facebook Tim Cook Jeff Bezos estados unidos Mark Zuckerberg Alphabet antitruste lei antitruste
Compras na Internet? Para aproveitar as melhores ofertas, baixe a nova extensão do Olhar Digital. Além da garantia do melhor preço, você ainda ganha descontos em várias lojas. Clique aqui para instalar a extensão Olhar Digital Ofertas em seu navegador!

Recomendados pra você