Durante o verão de 2018, na Sibéria, caçadores encontraram um filhote de cachorro enterrado no pergelissolo – terreno constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados. Depois das análises de datação por radiocarbono, foi descoberto que o Dogor, como foi chamado o cãozinho, possui cerca de 18 mil anos.

O corpo do filhote estava muito preservado, com dentes afiados, pelos e bigodes ainda em boas condições. Os cientistas conseguiram concluir que o cachorro morreu aos dois meses de idade.

publicidade

Até agora, a análise de DNA não conseguiu definir a espécie do animal. Dogor pode ter sido um dos últimos lobos da era do gelo, um dos primeiros lobos modernos ou até um cão domesticado muito cedo na história.

Antes de mais anúncios, os cientistas querem fazer mais testes, já que pode ser o caso de uma criatura intermediária, tendo vivido no momento em que os lobos estavam se transformando em cachorros.

Via: The Guardian