EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Um influenciador de mídia social foi condenado a 14 anos de prisão por conspiração violenta após tentar coagir um estranho a desistir de um nome de domínio na web. A sentença foi anunciada nesta segunda-feira (9), pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Em 2015, o então estudante da Universidade Estadual de Iowa, Rossi Lorathio Adams II, que recebeu o apelido de “Polo”, fundou a State Snaps, uma série de contas de mídias sociais que mostravam mulheres seminuas e fotos de festas universitárias. Sua conta no Instagram acumulou 1,5 milhão de seguidores.

publicidade

No entanto, Adams tornou-se cada vez mais frustrado por não possuir o domínio doitforstate.com, uma referência a uma hashtag popular nas mídias sociais (#DoItForState) que o influenciador costumava usar em legendas e comentários para invocar o comportamento que ele publicaria para os fãs online. O nome de domínio com o slogan de Adams era, na verdade, propriedade de um indivíduo de Cedar Rapids, Iowa, chamado Ethan Deyo, desconhecido de Adams.

Reprodução

Ao longo de dois anos, Adams tentou comprar o nome de domínio, mas sem sucesso, porque Deyo não tinha a intenção de vendê-lo inicialmente. Em certo ponto, Deyo pediu US$ 20 mil para vender o nome, mas Adams considerou a quantia muito alta. Então, em vez de desistir, o influenciador voltou-se para a intimidação, enviando emojis de arma para um dos amigos de Deyo e até aparecendo na porta do homem.

Eventualmente, no verão de 2017, Adams resolveu tentar uma intimidação violenta pessoalmente. Para isso, contratou seu primo, um criminoso condenado chamado Sherman Hopkins Jr., para invadir a casa de Deyo e ameaçá-lo sob a mira de uma arma para transferir o nome. Hopkins aceitou, aparecendo com uma pistola e um taser na casa do homem, usando uma meia-calça na cabeça e óculos escuros para esconder o rosto. Ele tinha também uma lista de instruções de como realizar a transferência para o nome de Adams.

publicidade

No entanto, as coisas saíram de controle e, após ser baleado na perna, Deyo tirou a arma das mãos de Hopkins e atirou várias vezes no peito do invasor. Os dois homens sobreviveram.

Ainda em 2017, Hopkins se declarou culpado e foi condenado a 20 anos de prisão por interferência e tentativa de persuasão no comércio através de ameaças e violência. Adams, por sua vez, foi julgado em abril deste ano e considerado culpado de conspiração a interferir no comércio pela força, ameaças e violência. Ele foi condenado nesta semana a 14 anos de cadeia.

Via: The Verge