EnglishPortugueseSpanish

muitos anos se especula que a Apple está planejando migrar seus Macs dos processadores Intel Core para chips próprios baseados na mesma arquitetura ARM usada nos iPhones e iPads. Com a migração, além de controlar a evolução da plataforma a Apple teria vantagens como maior autonomia de bateria e desempenho em seus portáteis, especialmente nos modelos de entrada, além de redução de custos e mais facilidade na integração entre seus principais sistemas operacionais, o iOS e o macOS.

Segundo relato da Bloomberg os primeiros resultados do projeto, conhecido internamente como Kalamata, estão próximos de chegar ao mercado. Citando fontes internas, a agência de notícias informa que a Apple se prepara para lançar seu primeiro Mac com processador ARM em 2021.

publicidade

O chip será baseado no A14, que será usado na geração 2020 de iPhones que deve chegar ao mercado no segundo semestre deste ano. Ele será produzido em um processo de 5 nanômetros pela taiwanesa TSMC, que já produz chips para iPhones e iPads. Os primeiros modelos terão 12 núcleos: 8 de alto desempenho, codinome Firestorm, e quatro de baixo consumo, chamados Icestorm.

Reprodução

Processador Apple A12X, usado nos iPad Pro de 2018

A Bloomberg afirma que a primeira máquina com o novo chip será um notebook, já que a Apple ainda não consegue igualar o desempenho dos chips “de mesa” usados nos iMac e Mac Pro. A situação nos portáteis, entretanto, é outra. Em testes o processador A12Z, usado no novo iPad Pro, mostra desempenho superior a alguns modelos dos Intel Core i7 projetados para notebooks.

publicidade

Apesar da mudança na arquitetura do processador, os novos Macs continuariam rodando o macOS, com uma camada de “compatibilidade” para permitir a execução de apps compilados para processadores Intel. Algo similar ao que é feito pela Microsoft no Surface Pro X, que roda uma versão do Windows 10 em um processador Microsoft SQ1, desenvolvido em parceria entre a Microsoft e a Qualcomm.

Vale lembrar que a Apple tem experiência na migração de suas plataformas. Em 1994 a empresa iniciou uma transição dos processadores da família Motorola 68000 (como os 68030 e 68040) para processadores PowerPC, baseados em uma arquitetura desenvolvida em conjunto entre a Apple, IBM e Motorola.

Reprodução

Jobs anuncia transição para a plataforma Intel

11 anos depois, em 2005, a Apple migrou dos processadores PowerPC para os chips da Intel, fruto de um projeto conhecido internamente como “Marklar”. A transição levou um ano para atingir toda a linha de produtos, e a empresa suportou processadores PowerPC até 2007 com o lançamento do Mac OS X 10.5 “Leopard”.

Fonte: Bloomberg