EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Nesta quinta-feira (14), a Nvidia anunciou que vai usar o DGX A100, seu novo supercomputador com Inteligência Artificial, para ajudar nas buscar por possíveis tratamentos para a Covid-19. O equipamento vai ser enviado ao Argonne National Lab e ficará à disposição do governo dos Estados Unidos.

O DGX A100 possui 5 petaflops de poder de processamento em oito GPUs Ampere A100 Tensor Core. Em comunicado, a empresa afirmou que um único A100 pode consolidar “a potência e os recursos de um data center inteiro”.

publicidade

“O poder computacional dos novos sistemas DGX A100 que chegarão a Argonne ajudará os pesquisadores a explorar tratamentos e vacinas e a estudar a disseminação do vírus, permitindo que os cientistas realizem anos de trabalho acelerado por IA em meses ou dias”, destacou a Nvidia.

Segundo Kimberly Powell, vice-presidente de assistência médica da empresa, os pesquisadores vão poder rastrear 1 bilhão de medicamentos em menos de 24 horas, o que, sem o equipamento, levaria quase um ano.

publicidade

Até 140 equipamentos A100 podem ser executados em paralelo, aumentando a potência para mais de 700 petaflops de processamento. Além disso, a Nvidia anunciou que pretende implantar outros serviços nos hospitais americanos, entre eles, um mecanismo que reduz o tempo de análise do genoma humano de 30 horas para menos de 20 minutos.

Por fim, a companhia destacou uma união com 12 empresas e 50 hospitais no mundo todo para encontrar uma forma de melhorar a proteção para as equipes médicas que estão na linha de frente na luta contra a pandemia.

Via: Engadget