EnglishPortugueseSpanish

De acordo com especialistas da Universidade de Hong Kong, o uso de máscaras reduz drasticamente a disseminação do novo coronavírus. A declaração foi emitida com base em estudos realizados com hamsters em que foi possível determinar que portadores da doença, sejam sintomáticos ou não, podem ser impedidos de infectar outros indivíduos se utilizarem a proteção.

O teste, liderado pelo professor Yuen Kwok-yung, especialista renomado em coronavírus, separou um grupo de animais em duas gaiolas. A primeira delas com hamsters infectados e a segunda com roedores saudáveis. Em seguida, as jaulas foram colocadas uma ao lado da outra.

publicidade

No espaço entre elas, os pesquisadores colocaram máscaras cirúrgicas e ativaram um fluxo de ar que ia do local em que os animais infectados estavam para a gaiola com os bichos saudáveis.

O resultado apontou que o uso da proteção diminuiu o contágio em até 60%. Em outra etapa, quando as máscaras não estavam presentes, dois terços dos roedores saudáveis apresentaram sinais de infecção em até uma semana.

“Está muito claro que utilizar máscaras em pessoas infectadas é mais importante do que em qualquer outra. Agora que sabemos que grande parte dos infectados não apresentam sintomas, o uso universal das máscaras é realmente fundamental”, declarou Yuen em entrevista.

Uso de máscaras

Reprodução

publicidade

Uso de máscaras deve ser obrigatório, segundo Yuen. Foto: iStock

Após quatro meses do aparecimento dos primeiros casos da doença na China, Hong Kong conseguiu baixar o número de infectados da doença para apenas mil. Além disso, apenas quatro mortes foram registradas.

Segundo especialistas, o sucesso no combate à pandemia aconteceu com o uso de máscaras de proteção e campanhas de testagem em massa dos residentes. Esse é um resultado bastante impressionante se considerarmos que Hong Kong possui 7,5 milhões de habitantes.

Via: Uol