EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Sempre que um novo meio de pagamento é implementado, bancos e outras instituições do setor têm de solicitar adesão para se adequar às tendências. Esse é o caso do PIX, nova plataforma de pagamentos instantâneos que promete transações financeiras quase em tempo real.

Atualmente, o Banco Central trabalha para colocar o sistema em funcionamento. Enquanto isso, fintechs como PayPal, Nubank e PicPay solicitam adesão ao serviço para que possam oferecer pagamentos e transferências de dinheiro 24 horas por dia, inclusive durante fins de semana e feriados aos seus clientes. 

publicidade

De acordo com o Banco Central, ao todo, há mais de 100 empresas interessadas em participar do novo sistema. Com as autorizações e todos os detalhes fechados, a estimativa é de que a plataforma esteja funcionando em 16 de novembro deste ano.

As empresas receberam autorização para cobrar tarifas de seus clientes pela utilização do serviço – assim como acontece em transações de DOC e TED. O que será oferecido é apenas a plataforma, cada instituição poderá definir maneiras próprias de utilização e indicar vantagens para se diferenciar dos concorrentes.

Além das modalidades já citadas, a plataforma vai oferecer pagamentos por QR Code ou aproximação (NFC ou MST). No entanto, essas facilidades só devem estar totalmente funcionais para todos em algum momento de 2021.

Regras de adesão

Conforme publicado em carta circular no Diário Oficial da União em 25 de maio, há algumas regras estabelecidas pelo Banco Central e o Ministério da Economia para que a adesão ao PIX seja feita. Dentre elas está que as instituições poderão participar de forma direta ou indireta do sistema. 

publicidade

De forma simplificada, a maneira direta permite que as instituições façam transações diretamente no Sistema de Pagamentos Instantâneos (SPI). Nessa categoria, obrigatoriamente, bancos de varejo e múltiplos farão parte.

A participação indireta acontece quando a realização de alguma transação no SPI – o “motor” do PIX – necessita de um participante direto como intermediário. Como um exemplo dessa participação, pode-se citar o RecargaPay que, apesar de oferecer a forma de pagamento, vai precisar que um banco com participação direta faça a mediação da transação.

Via: Tecnoblog