EnglishPortugueseSpanish

O Google vai iniciar a desativação de sua plataforma de streaming Google Play Música em setembro. A companhia pretende desabilitar o aplicativo primeiramente na Austrália e na Nova Zelândia. No mês seguinte, o serviço será interrompido em todos os países. Usuários têm até dezembro para transferir todos os dados e conteúdos para o YouTube Music.

Desde junho, o Google disponibiliza a usuários brasileiros uma ferramenta que permite o envio de materiais entre os dois produtos com apenas um clique. A transferência contempla arquivos carregados no Play Música, músicas compradas, playlists criadas pelo usuário, registro de músicas favoritas e outras informações sobre os hábitos de uso da plataforma. Após dezembro os dados serão removidos.

publicidade

Segundo o Engadget, a gigante de tecnologia ainda planeja desativar seus canais de venda de música na Play Store no fim de agosto. Isso significa que usuários que preferem comprar faixas em vez de escutá-las pelo serviço de streaming não poderão mais adquirir músicas diretamente do Google. Por outro lado, ainda haverá a possibilidade de comprar arquivos de outros serviços e carregá-los no YouTube Music.

Para fazer a transferência entre as plataformas é necessário acessar o link da ferramenta por meio da conta Google associada ao Play Música. O site vai automaticamente sugerir alguns conjuntos de informações para envio; basta clicar no botão “transferir” para iniciar o processo.

Reprodução

Tela de transferência de conteúdo do Play Music para o Google Music. Foto: Reprodução

A velocidade depende da quantidade de informações transferidas. Por isso, o procedimento pode demorar de minutos até dias. Vale lembrar ainda que a alta demanda na plataforma também influencia o processo – em junho, usuários relataram atrasos na transferência de dados entre os serviços de streaming.

Proposta antiga

A extinção do Google Play Música é esperada desde o lançamento do YouTube Music, em 2018. Na época, a empresa confirmou as intenções de transferir os assinantes do primeiro para o segundo serviço a partir de 2019. O processo, entretanto, foi estendido devido à proposta do Google de garantir que todas as funcionalidades da Play Música também estivessem no YouTube Music.

Foi somente em 2020, que a plataforma sucessora ganhou suporte ao upload de faixas para nuvem. Muito querido por usuários do Play Música, o recurso permite escutar por streaming álbuns que não estão disponíveis no catálogo do Google. Além disso, a empresa também reconfigurou o aplicativo do YouTube para ficar mais parecido com sua contraparte.

Fonte: Engadget