EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Via Láctea é composta por um buraco negro supermassivo, o Sagitário A*, com um número incontável de estrelas ao seu redor, sendo que algumas, como o nosso Sol, têm planetas orbitando-as. Agora, astrônomos da Universidade de Colônia, na Alemanha, encontraram a estrela mais rápida da galáxia.

A S4714, como foi chamada, possui sua órbita ao redor do Sagitário A*, e faz seu caminho a uma velocidade de 24 mil quilômetros por segundo, cerca de 8% a velocidade de luz. O mais impressionante é que essa estrela é apenas uma de um grupo que orbita o buraco negro nas regiões mais próximas já registradas.

publicidade

Essas podem ser as primeiras “squeezars” já encontradas, estrelas que estão tão próximas de um buraco negro que são pressionadas por sua gravidade, algo proposto há quase 20 anos.

Os astrônomos que estudam a região próxima ao Sagitário A* identificaram várias estrelas em órbitas longas e nitidamente elípticas ao seu redor. Durante anos, a estrela chamada S2 foi considerada a mais próxima do buraco negro. Ela possui uma órbita de 16 anos e chega a cerca de 18 bilhões de quilômetros do Sagitário A*, atingindo 3% da velocidade da luz.

estrelas.jpgImagem mostra estrelas em órbitas bastante próximas do buraco negro Sagitário A*. Foto: Florian Peissker

Novas descobertas

No ano passado, porém, Florian Peissker e sua equipe da Universidade de Colônia encontraram a S62, que possui uma órbita de 9,9 anos e chega a 2,6 bilhões de quilômetros de distância do buraco negro, atingindo 20 mil quilômetros por segundo, 6,7% da velocidade da luz. Depois disso, ainda descobriram mais cinco estrelas mais próxima – S4711, S4712, S4713, S4714 e S4715.

publicidade

Dessas, o destaque fica para a S4711 e para a S4714. A primeira, uma estrela azul do tipo B, tem uma órbita que dura 7,6 anos, chegando a uma distância de 21,5 bilhões de quilômetros do Sagitário A* em seu ponto mais próximo.

Já a S4714 possui uma órbita mais longa, levando 12 anos para completá-la. Porém, essa órbita é extremamente diferente, atingindo 0,985 em uma escala de excentricidade que vai de 0 a 1 (sendo 0 um círculo perfeito e 1 a órbita de escape). No seu ponto mais próximo, a 1,9 bilhões de anos de Sagitário A*, a estrela atinge incríveis 24 mil quilômetros por segundo, cerca de 8% da velocidade da luz.

Squeezars

Em 2003, os astrofísicos Tal Alexander e Mark Morris propuseram esta nova classe de estrelas com órbitas altamente excêntricas em torno de buraco negros massivos. A cada passagem em seu ponto mais próximo, as forças de maré convertem uma fração da energia orbital em calor. Isso, além de fazer as estrelas brilharem mais intensamente do que o normal, contribui para a decadência orbital dela. Em outras palavras, as squeezars são estrelas mortas orbitando o buraco negro.

“Pelo menos S4711 e S4714 são candidatas a squeezar”, afirmou Peissker. “Eu diria que tenho certeza sobre a S4711, já que os elementos orbitais são consistentes com as previsões de Tal Alexander. Nesse sentido, a S4711 é o primeiro squeezar já detectado”, destacou.

Via: Science Alert