A China já é o maior mercado de 5G do mundo em termos de número de usuários, com mais de 110 milhões de planos ativos. A informação foi divulgada nesta quarta-feira (16) pela Academia Chinesa de Tecnologia da Informação e Comunicação (CAICT), que acompanha o crescimento da rede de quinta geração no país. 

As operadoras chinesas lançaram os planos 5G para os consumidores há pouco menos de um ano, quando o governo começou a emitir licenças para uso comercial da tecnologia. Em termos de comparação, é como se um produto alcançasse mais que a metade da população brasileira em apenas alguns meses, o que é extremamente raro. 

publicidade

Contudo, é importante considerar que a China ultrapassa 1,4 bilhão de habitantes. Dessa forma, embora impressione, a quantidade de pessoas que usufruem da rede 5G não chega a abranger 10% da população. 

A tendência é que esse número aumente nos próximos anos – ou meses. Em julho, a China instalou cerca de 15 mil novas estações-base 5G (as famosas “antenas” de telefonia) por semana, alcançando o total de 460 mil – e a expectativa do governo, de acordo com o TechCrunch, é chegar a 600 mil ainda este ano.

Reprodução

A China, país mais populoso do mundo, já tem 110 milhões de planos 5G ativos. Imagem: Danielvfung/iStock

Huawei x EUA

Para atender à crescente demanda, as fabricantes de celular, como Huawei, Xiaomi e Oppo, se apressam para produzir aparelhos compatíveis com a rede. Os smartphones 5G representaram 60% do total das remessas em agosto no mercado chinês, e os números oficiais contabilizam mais de 93 milhões de unidades vendidas até o momento. 

Nesse sentido, o destaque é a Huawei, que, além de fabricar dispositivos que se conectam à rede, fornece a infraestrutura necessária para sustentá-la. 

Essa liderança, porém, acontece somente na China. Fora do país, a empresa foi banida dos preparativos para a implementação do 5G em diversos países, incluindo os EUA, França e Reino Unido

O mau tempo envolvendo a Huawei acontece devido às mais de 16 acusações feitas pelos Estados Unidos contra a empresa. As denúncias vão de fraude bancária a roubo de segredos industriais, mas a principal delas é a de que a companhia seria utilizada pelo governo chinês como ferramenta de espionagem.   

No mundo ocidental, as principais alternativas à Huawei incluem as companhias Ericsson e Nokia, apontadas, inclusive, como opções para a instalação da rede no Brasil. Ainda assim, o mercado chinês é grande o suficiente para que a companhia continue sendo uma das maiores do planeta. 

Via: TechCrunch