A Tesla confirmou nesta semana que está lutando contra uma multa de US$ 14 milhões aplicada pelo governo alemão. A causa dessa punição é sua política de fim de vida útil das baterias de seus carros.

A Alemanha é um país que protege muito sua indústria automotiva, uma das mais fortes do mundo. Devido a isso, a empresa de Elon Musk não pode dizer que sua recepção em terras alemãs foi das mais calorosas. Ocasionalmente o país tentava manter a Tesla fora de seus incentivos para a indústria de veículos elétricos e perseguia a montadora por causa da publicidade do pacote Autopilot e Full Self-Driving.

publicidade

Mesmo assim, a Tesla insistiu muito e, em um esforço para fazer valer sua presença na Alemanha, anunciou um investimento maciço no país, com a construção da gigafábrica de Berlim. Esse movimento fez muitas pessoas acreditarem que a paz entre as partes estava selada definitivamente. Autoridades alemãs até que a empresa de Musk receberá total apoio do governo alemão como parte do projeto.

Entretanto, um novo conflito surgiu: as baterias. A maneira como a Tesla lida com o fim da vida útil de seus produtos com bateria causa desconforto nas autoridades alemãs, e foi aí que surgiu a dívida. Em seu último relatório trimestral, a empresa divulgou sua luta contra uma multa de US$ 14 milhões aplicada pelo Umweltbundesamt, ou “UBA” – o Serviço Federal do Ambiente.

Reprodução

Fim da vida útil das baterias gera desgaste entre Tesla e governo alemão. Imagem: Tesla/Divulgação

Em nota, a Tesla diz que o “UBA” “emitiu à nossa subsidiária na Alemanha um aviso e multa no valor de 12 milhões de euros, alegando não conformidade com as leis aplicáveis relativas a notificações de participação no mercado e obrigações de retoma com relação ao fim de produtos de bateria de longa duração necessários. Isso está relacionado principalmente a requisitos administrativos, mas a Tesla continuou a aceitar de volta as baterias e, embora não possamos prever o resultado desta questão, incluindo o valor final de quaisquer penalidades, apresentamos nossa objeção e não se espera que haja um impacto adverso relevante em nossos negócios”.

A Tesla acredita que o problema é apenas administrativo, e luta contra a decisão. A maioria das baterias da empresa que estão circulando pelas estradas ainda estão cobertas pela garantia e, quando substitui uma delas, geralmente essa bateria é “refabricada” para ser usada em substituições futuras.

Alguns fabricantes de carros elétricos preferem usar suas baterias antigas como dispositivos estacionários de armazenamento de energia para que os equipamentos ganhem uma segunda vida. A Tesla, por sua vez, prefere reciclá-las. Esse ponto gera divergência entre empresa e governo, então podemos esperar mais algum tempo até que tudo se resolva.

Via: Electrek