EnglishPortugueseSpanish

A SpaceX protocolou nesta quarta-feira (04) um pedido para o fechamento de estradas na região de suas instalações em Boca Chica, no Texas. O pedido especifica um período de 12 horas, entre as 9 da manhã e 9 da noite (12h às 00h, no horário de Brasília) de 9 de novembro, para “disparo estático da SN8 e voo a 15 km”.

Se tudo correr como programado, este será o primeiro voo de “grande altitude” de uma Starship. Dois protótipos anteriores, o SN5 e SN6, fizeram curtos saltos a 150 metros. O SN7 não foi construído para voo e foi destruído em um teste de pressurização no fim de junho, para testar a resistência de uma nova liga de alumínio.

A expectativa original era de que a SN8 chegasse a 18 km de altitude. Ainda não se sabe o que fez a SpaceX mudar os planos. Vale lembrar que um voo a 15 km de altitude não é um voo espacial. Segundo a Federação Aeronáutica Internacional, o espaço “começa” a 100 km acima do nível médio do mar, ponto que é conhecido como a “linha de Kárman”.

publicidade

Em construção desde julho, a SN8 será a primeira Starship a voar com um “nariz” e aletas para controle aerodinâmico, dando a ela um visual mais próximo do que será o veículo final. Em contraste, os protótipos anteriores não pareciam mais do que tanques de combustível com pernas.

Reprodução

Seção da SN8 (o cilindro menor à esquerda) durante construção, com a Starship SN6, segunda a voar, à direita. Foto: BocaChicaGal/Twitter

Ela também é a primeira equipada com três propulsores Raptor, que foram testados em um disparo estático (quando os motores são acionados mas o foguete, preso ao solo, não decola) em 21 de outubro. A versão final terá seis propulsores próprios, mas será lançada ao espaço com um foguete Falcon Super Heavy, que terá nada menos de 31 propulsores Raptor.

De olho em Marte

A Starship é crucial para os planos da SpaceX de colonizar Marte, construindo no planeta uma cidade com 1 milhão de habitantes até 2050. Para isso, a SpaceX teria de construir 100 Starships por ano, num total de mil naves ao longo de 10 anos, e fazer três lançamentos diários, cada um transportando mais de 100 toneladas, num total de 100 mil toneladas/ano. Isso seria feito cada vez que a Terra e Marte ficarem mais próximos, o que acontece uma vez a cada 26 meses.

Além disso, a SpaceX tem planos para usar a Starship e o foguete Falcon Super Heavy em outros empreendimentos, como o transporte de astronautas e materiais até a Lua, o turismo orbital e o lançamento de satélites, substituindo os atuais foguetes Falcon 9 e Falcon Heavy.

Fonte: Futurism