EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Mesmo com a pandemia do coronavírus, a Xiaomi vem investindo bastante no Brasil ao trazer novos celulares. Já um modelo da marca que chamou bastante a atenção neste ano foi o Poco X3, um celular gamer do segmento intermediário e que conta com algumas especificações um tanto diferentes.

O Olhar Digital recebeu uma unidade deste aparelho para review, depois de jogar muito e realizar outros testes nele, e conta para vocês tudo o que achou dele, além de quais são os seus prós e contras. Confira!

publicidade

Design, tela, som e acabamento

Apesar de ter uma configuração um pouco mais potente, o Poco X3 ainda tem um visual e acabamento bem similar que vemos em aparelhos do segmento intermediário. Assim, o corpo do aparelho tem a sua maior parte feita de plástico e as suas câmeras traseiras, que ocupam um bom espaço, ficam bem salientes.

Reprodução

publicidade

Já para botões, a Xiaomi optou por deixar o Poco X3 um pouco mais tradicional e simples. Nele, você tem apenas o botão Power, que tem integrado um leitor de impressões digitais e os botões para aumentar ou diminuir o volume. Além deles, ainda no corpo do aparelho, está presente uma porta USB C e uma bem-vinda entrada para fones de ouvido.

Nesse último ponto, inclusive, algo que me incomodou foi o leitor de impressões digitais integrado ao botão power. Ele funciona bem e tem um rápido tempo de resposta, mas muitas vezes você pode acabar encostando no botão sem querer e receber a “vibração” de que a sua digital não pegou, isto sem estar de fato tentando desbloquear o aparelho.

A tela do aparelho, por sua vez, é justamente um de seus destaques já que ela tem a taxa de atualização de 120 Hz (com tempo de resposta de 240 Hz), algo incomum para um celular do segmento intermediário premium. O Poco X3 para isso vem com um display LCD de 6,67 polegadas e resolução Full HD+ (2400 x 1800 pixels) na proporção 20:9.

Reprodução

Pessoalmente, eu gostei da tela do aparelho e achei as suas cores vivas, mas alguns tons de preto realmente ficam um pouco apagados e certas imagens, que abusam disso aparecem “frias” devido ao display LCD. Em relação ao nível de brilho, eu não tenho do que reclamar, já que mesmo em ambientes bem iluminados e abertos, a tela sempre ficou com uma boa visibilidade.

Na questão da taxa de atualização, que é um de seus diferenciais, a maior mudança pode ser vista em jogos que tenham o suporte a ela, como é o caso do Grimvalor e do Modern Ops. No sistema, essa diferença também pode ser vista em animações e transições, mas, honestamente, diferente de monitores, as mudanças vistas no celular acabam sendo bem sutis.

Algo de diferente também no Poco X3 é o seu sistema de som, que é estéreo, o que não víamos nem mesmo em outros aparelhos topo de linha da marca, como no Mi 9. De forma geral, você sente que o som dele é mais potente do que o de outros modelos da marca. Ainda assim, as vezes a qualidade deles fica um pouco abafada ou não tão cristalina devido a acústica de seu corpo. Já o seu volume fica apenas dentro do padrão e não desaponta.

Performance, desempenho e autonomia

No Poco X3, assim como falamos no começo da análise, a Xiaomi fez algumas escolhas bem interessantes. Antes de entrarmos nos detalhes dos testes, vamos a sua ficha técnica. Confira:

  • Processador Snapdragon 732G;
  • GPU Adreno 618;
  • 6 GB de memória RAM;
  • 64 ou 128 GB de espaço de armazenamento expansível via cartão microSD;
  • Bateria de 5.160 mAh.

Como você deve ter notado pelo nome do processador, ele vem seguido da letra “G”, o que indica que é recomendado para jogos. Apesar disso, ele também consegue se sair bem para tarefas do cotidiano. Em meus testes, tirando uma lentidão ou outra quando downloads estavam sendo realizados em segundo plano, o Poco X3 realmente me ofereceu uma ótima performance.

Já quando o assunto é jogos, o Poco X3 não desaponta na maioria das ocasiões, mas mesmo sendo “gamer”, ele ainda fica atrás de processadores topo de linha neste quesito. Em Arena of Valor, um Moba não muito pesado, o jogo roda sempre na taxa de quadros máxima. Apesar disso, não é possível deixá-lo no modo gráfico “Vida”, que é o maior por conta do processador não o suportar.

Outro jogo bem popular do momento, o Genshin Impact vem configurado por padrão para rodar com os gráficos “médios”. Aqui, em compensação, ao configurar o jogo, o Poco X3 consegue rodar ele no máximo sem apresentar muitas lentidões.

Agora, quando o assunto são jogos com suporte a taxa de 120Hz é onde a história muda um pouco. Nesse teste, nós rodamos títulos como o Grimvalor, que rodou bem em praticamente todo o tempo com uma ótima fluidez.

Já um título que também tem o suporte a esta taxa, o “Marvel Torneio de Campeões” foi quem nos desapontou. O jogo até rodou bem em grande parte do tempo, mas em certos cenários, uma certa lentidão e pequenos engasgos foram notados.

Reprodução

Um ponto em que o Poco X3 acaba surpreendendo também é na sua bateria. Em um teste jogando com a frequência de 120 Hz habilitada, em uma hora de uso, a sua bateria foi de 86% para 74%, o que consideramos um bom número. Já o tempo para esgotar a bateria foi de praticamente dois dias.

Em relação ao tempo de carregamento, mais uma vez, o Poco X3 me surpreendeu de forma positiva. Em apenas 11 minutos, a bateria carregou 25%, enquanto a recarga completa levou 80 minutos para ser realizada.

Fotos

Apesar de ser um celular com um foco mais para o público gamer, o Poco X3 também vem com um conjunto interessante para tirar fotos. Antes de falarmos dos nossos testes, primeiro, veja as especificações de suas lentes:

  • Lente wide de 64 megapixels com abertura f/1.9;
  • Lente ultrawide de 13 megapixels com abertura f/2.2;
  • Lente macro de 2 megapixels com abertura f/2.4;
  • Sensor de profundidade com 2 megapixels e abertura f/2.4;
  • Lente wide para selfies de 20 megapixels com abertura f/2.2.

De forma geral, o Poco X3 consegue surpreender na qualidade das fotos tiradas com ele, principalmente quando os ambientes estão bem iluminados. O nível de detalhes obtido acaba sendo alto, só que algumas cores ficam bem saturadas às vezes. Confira algumas fotos:

Reprodução

Foto com lente wide em ambiente aberto

Reprodução

Foto com lente ultrawide em ambiente aberto

Reprodução

Foto com lente wide em ambiente fechado

Já quando o ambiente não está muito iluminado ou é de noite, no modo “normal”, o Poco X3 não se sai tão bem. Entretanto, o seu modo noturno pode salvar algumas situações, apesar de nem sempre ser tão eficaz quanto deveria por conta do ruído em algumas imagens. Abaixo confira uma foto tirada sem e com o modo noturno ativado.

Reprodução

Foto sem modo noturno

Reprodução

Foto com modo noturno

A lente de macro do Poco X3, aquela que serve para tirar foto dos mínimos detalhes, até se sai bem, apesar de não surpreender. De forma geral, nas fotos que tirei, tive a impressão que ela “escurecia” o ambiente, entretanto, ela quase não adiciona ruído no objeto em foco, o que é algo positivo.

Reprodução

Foto com lente macro

Por sua vez, a câmera de selfies até consegue oferecer uma boa qualidade em ambientes iluminados, mas eu esperava um pouco mais de nível de detalhes em suas fotos.

Reprodução

Sistema

Em relação ao sistema, assim como a grande maioria dos celulares da Xiaomi, o Poco X3 vem com a interface da MIUI 12 e o Android 10, só que algumas diferenças podem ser notadas. As principais funções da interface da Xiaomi estão ali e o sistema se mostra bem organizado, mas muitos programas pré-instalados e sugeridos vêm embarcados.

A boa notícia é que apesar de eles incomodarem a princípio, eles podem ser removidos sem a necessidade de root ou de outros procedimentos arriscados. Já a parte de tema da MIUI, que sempre faz sucesso, infelizmente, não vem com o suporte oficial aos temas dinâmicos.

Algo a ser notado no Poco X3, também, é que ele vem com o “Poco Launcher” como o seu launcher padrão. Quando comparado a MIUI 11, ele é realmente bem diferente por conta de suas configurações padrões, mas já ao ser comparado com a MIUI 12, a sua experiência é praticamente idêntica. A maior diferença mesmo acaba sendo vista no menu de “personalizar a interface”, que oferece uma usabilidade melhor.

Preço e disponibilidade

O Poco X3 foi lançado oficialmente no Brasil no começo do mês de outubro e está disponível nas versões de 64 GB por R$ 2.999 ou 128 GB por R$ 3.299.

Conclusão

O Poco X3 é realmente um aparelho interessante e com uma proposta diferente. No quesito performance, quando o assunto é jogos, ele dificilmente deixa a desejar e a sua tela faz um bom trabalho, ainda mais por contar com a taxa de atualização de 120 Hz. Ainda assim, ele fica um pouco distante do desempenho de aparelhos topo de linha do ano passado, que possuem um preço parecido com que está sendo cobrado oficialmente.

Já o quesito em que ele realmente surpreende é na autonomia, que é excelente mesmo ao utilizá-lo para jogos pesados e com a sua tela na taxa de atualização de 120 Hz. Quando o assunto é tirar fotos ele também não faz feio, só que os seus modos são básicos e não oferecem uma grande variedade para você capturar imagens de formas diferentes.

Assim, nós podemos afirmar que o Poco X3 é realmente uma opção bem interessante para quem está preocupado em jogar com qualidade no celular, mas o seu preço poderia ser um pouco mais em conta.