EnglishPortugueseSpanish
publicidade

A Huawei não poderá instalar seu 5G no Reino Unido. De acordo com comunicado emitido na manhã desta segunda-feira (30) pelo Departamento de Cultura e Mídias Digitais e Esporte da Inglaterra, equipamentos de rede vendidos pela gigante chinesa serão terminantemente proibidos de circularem no país a partir de setembro de 2021. Mais além, o governo britânico também anunciou um calendário para remover todo equipamento já instalado da Huawei até 2027.

“Hoje, estou divulgando uma estrada bem transparente para a remoção completa de fornecedores de alto risco de nossas redes 5G”, disse o secretário do Departamento, Oliver Dowden. “Isso será feito por meio de novos e inéditos poderes para identificar e banir equipamentos de telecomunicações que representem uma ameaça à nossa segurança nacional”.

publicidade

A medida atraiu olhares de várias entidades do setor, uma vez que o mesmo governo britânico havia comentado, em janeiro deste ano, que não cederia às pressões norte-americanas de cessão de negócios com parceiros comerciais. Os EUA estão em guerra comercial declarada com diversas empresas chinesas desde o segundo semestre de 2018, em uma série de atritos que já vinham ocorrendo em outras searas, como o ambiente sócio-político e militar.

Reprodução

Governo do Reino Unido deve banir equipamentos da Huawei até setembro de 2021, com remoção completa de materiais até 2027. Huawei 5G/Ink Drop/Shutterstock

No começo de novembro, a Huawei pediu que o governo britânico voltasse atrás em qualquer decisão de banimento, com o vice-presidente da empresa, Victor Zhang, afirmando que ela teria motivações estadunidenses, e não estaria sendo tomada pela autonomia da Grã-Bretanha. O mesmo executivo disse que uma decisão do tipo seria custosa ao Reino Unido, uma vez que tal manobra ampliaria a divisão digital do público e aumentaria os custos de infraestrutura do bloco.

publicidade

No mesmo comunicado, o Departamento de Cultura e Mídias Digitais e Esporte também disse estar criando uma iniciativa voltada à aquisição de novos fornecedores de equipamentos de rede e 5G. Intitulada “Estratégia de Diversificação da Cadeia de Suprimentos para o 5G”, a medida é encabeçada, entre outras ações, pela criação de um laboratório nacional de telecomunicações, avaliado em US$ 332 milhões.

Dowden disse que a ideia é “se certificar” de que o Reino Unido “nunca mais dependa de ‘um punhado’ de fornecedores de telecom para garantir e proteger as nossas redes”.

Fonte: Governo do Reino Unido