EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Em 2016, quase um ano antes do lançamento oficial do Nintendo Switch, o hacker Ryan Hernandez conseguiu extrair informações sobre a existência do vindouro console e compartilhou-as online.

Agora, anos depois, após investigações do FBI e de confessar a culpa, o jovem de 21 anos foi condenado a três anos de prisão por dois crimes – o de invasão e posse de pornografia infantil. Ele também deverá pagar cerca de US$ 260 mil dólares (R$ 1,3 milhão em conversão direta) à Nintendo pela violação.

publicidade

Um ano depois do ataque phising que fez com que o jovem conseguisse acesso aos segredos da Nintendo, investigadores do FBI contataram Hernandez sobre suas tentativas de invasão. Na época, foi solicitado que ele parasse com a prática, e foi prometido que isso aconteceria. Mas a promessa não se cumpriu.

Jovem confessou a culpa pelo hackeamento das informações. Foto: Nintendo/Reprodução

Ele continuou a invadir os servidores da Nintendo e vazar informações que encontrou por lá – isso incluiu dados confidenciais sobre jogos populares e ferramentas de desenvolvimento. Em 2019, o FBI vasculhou a casa do jovem e descobriu milhares de arquivos da Nintendo junto com mais de mil fotos e vídeos de pornografia infantil.

Por isso, a condenação foi de três anos. Hernandez responderá por hackeamento e posse desse tipo de material. Após sua libertação, ele será obrigado a passar mais sete anos em regime de liberdade supervisionada e registrar-se como um criminoso sexual.

Vendas do Switch

Desde seu lançamento, o Nintendo Switch chamou atenção justamente por ser um console híbrido – de mesa e portátil. Parece que essa inovação surtiu efeito nas vendas do aparelho. Isso porque o videogame é o mais vendido nos Estados Unidos há 23 meses seguidos.

publicidade

Além disso, de acordo com um levantamento feito pelo NPD Group, somente em outubro, a Nintendo vendeu quase 736 mil unidades do Switch e do Switch Lite apenas nos EUA. Isso representa um aumento de 136% em relação ao mesmo mês em 2019.

Ao todo, apenas em território norte-americano, a empresa vendeu 22,5 milhões de unidades. No mundo, a Nintendo revelou que a soma de vendas chega a 68 milhões desde a chegada do dispositivo – em março de 2017.

Nintendo Switch Lite, junto de sua versão original, venderam 736 mil unidades nos EUA em outubro. Foto: George W. Bailey/Shutterstock

De acordo com Nick Chavez, vice-presidente sênior de vendas e marketing da Nintendo of America, o aumento visto em outubro foi atribuído a dois fatores: a pandemia e o jogo ‘Animal Crossing: New Horizons’.

Isso porque, a pandemia criou o cenário ideal para que as pessoas tenham mais tempo em casa e, consequentemente, possam jogar videogame. O outro fator está relacionado ao lançamento de uma versão temática do famoso jogo.

“Isso [console temático] voltou ao mercado por volta de 4 de outubro, e muitas pessoas estavam ansiosas para colocar as mãos nele o mais rápido possível. Vamos continuar a ter um amplo suprimento até 2021”, disse Chavez.

Via: Polygon