O mercado de smartphones traz, constantemente, inovações que facilitam ainda mais nossas rotinas. No entanto, nenhuma fabricante conseguiu ainda desenvolver um aparelho que seja totalmente protegido contra ameaças cibernéticas. Agora, a Kaspersky, conhecida por seus anti-vírus, quer mudar este cenário.

A empresa russa de soluções de segurança anunciou que está se preparando para lançar um smartphone seguro, que seja quase impossível de hackear. O dispositivo contará com o sistema operacional Kaspersky OS, inicialmente desenhado para funcionar em infraestruturas específicas com elevada necessidade de segurança ou em dispositivos IoT.

publicidade
Eugene Kaspersky promete celular seguro contra ameaças cibernéticas. Imagem: catwalker/Shutterstock

De acordo com o CEO da companhia, Eugene Kaspersky, o smartphone receberá funcionalidades básicas com um conjunto padrão de aplicativos e navegador próprio. Além disso, não está previsto o lançamento de uma loja de aplicativos para o Kaspersky OS. No entanto, a empresa não descarta o surgimento de uma loja própria de apps no futuro.

“Haverá funcionalidades mínimas, beleza, tanto do Android quanto do iOS. Mas este smartphone não realizará outras tarefas especiais. O aparelho pode fazer chamadas e enviar SMS, claro, haverá uma suíte de escritório, seu próprio navegador com funcionalidades mínimas e um conjunto padrão de aplicativos como despertador, calculadora e assim por diante”, declarou.

O lançamento do smartphone baseado no sistema operacional da Kaspersky está previsto para 2021. A fabricante do aparelho será uma empresa chinesa, cujo nome ainda não foi divulgado.

Invasão remota de iPhones

Uma vulnerabilidade “assustadora” descoberta por um funcionário do Google permite que hackers invadam remotamente um iPhone e tenham acesso completo a todo o conteúdo do aparelho. Isso inclui ver todas as fotos, ler todos os e-mails, copiar mensagens privadas e monitorar tudo o que acontece em tempo real.

Nem o hacker, nem a vítima, precisam estar conectados à internet para que o ataque possa ser executado: basta que estejam ao alcance de uma conexão Bluetooth. O ataque requer zero interação da vítima: ela não precisa clicar em nenhum link, abrir nenhum e-mail ou baixar nenhum app.

Felizmente, para os usuários, a falha foi corrigida pela Apple com uma atualização do iOS lançada em maio deste ano. Basta que seu aparelho tenha a versão mais recente do sistema para estar protegido.

Via: Gizchina