EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Os 27 países que integram a União Europeia iniciarão uma campanha de vacinação simultânea contra a Covid-19 em 27 de dezembro. A informação foi divulgada pela presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Apesar da declaração, até o momento, nenhuma vacina teve seu uso autorizado pela Agência Europeia de Medicamentos (no inglês, EMA), órgão regulador do continente.

publicidade

A agência vai debater, em reunião marcada para a próxima segunda (21), a possibilidade de liberação do imunizante desenvolvido pela Pfizer em parceria com o laboratório BioNTech. Mesmo sem a aprovação, há a previsão de que os medicamentos contra a Covid-19 comecem a chegar no dia 26.

“Começaremos a vacinação na União Europeia o mais rápido possível todos juntos, todos os 27, no mesmo dia, da mesma forma que passamos por esta pandemia juntos”, afirmou Von der Leyen, durante uma sessão do Parlamento Europeu em Bruxelas, na quarta (16).

Em seu perfil oficial no Twitter, a presidente da Comissão Europeia comunicou que a EMA também aceitou adiantar a reunião que vai discutir a liberação da vacina desenvolvida pelo laboratório americano Moderna. “Estamos fazendo um bom progresso na garantia das vacinas”, disse.

publicidade

Arábia Saudita inicia vacinação

A campanha de vacinação contra a Covid-19 na Arábia Saudita começou nesta quinta-feira (17), utilizando a vacina da Pfizer/BioNTech, a mesma aprovada no Reino Unido e nos Estados Unidos.

Cidadãos e estrangeiros que moram no país foram registrados para que pudessem participar da campanha, que está imunizando todos de forma gratuita.

Arábia Saudita
Campanha de vacinação contra a Covid-19 na Arábia Saudita começou nesta quinta-feira (17). Foto: Noushad Thekkayil/Shutterstock

“É o início do alívio para esta crise. Nos últimos nove meses, acompanhei ansiosamente o número de casos registrados. Mas hoje terei todo o prazer em monitorar o número de pessoas que estão sendo vacinadas”, disse o ministro da Saúde saudita, Tawfiq al-Rabiah.

Até o momento, mais de seis mil mortes foram registradas no país, com 360 mil casos de infecção confirmados.

Fonte: G1