EnglishPortugueseSpanish
publicidade

O Google está testando um novo recurso em sua ferramenta de busca que irá agregar em um “carrossel” vídeos do TikTok e Instagram. A novidade é uma expansão do recurso de “vídeos curtos” (Short Videos) no Google Discover, o feed de conteúdo recomendado pelo app do Google que aparece em smartphones Android ao deslizar a tela inicial (home) para a direita.

Segundo o site Search Engine Roundtable, que descobriu a novidade, os vídeos do TikTok e Instagram aparecem ao buscar por termos específicos, como Packers (um time de Futebol Americano do estado de Wisconsin, nos EUA), tanto no iPhone quanto no Android. Antigamente, o carrossel mostrava apenas vídeos do YouTube e algumas redes sociais de menor importância como a Trell, concorrente indiana do TikTok.

publicidade

Ao clicar em um vídeo, o usuário é levado à versão web da plataforma (TikTok, Instagram, YouTube, etc), em vez do app correspondente, mesmo que ele esteja instalado no smartphone. De acordo com o TechCrunch, é uma estratégia para manter o usuário dentro do app do Google, em vez de desviar sua atenção para outro local.

Carrossel mostra vídeos do Tiktok e Instagram na busca do Google
Vídeos do TikTok e Instagram em destaque na busca do Google. Imagem: Search Engine Roundtable

Questionado pelo TechCrunch, o Google não comentou formalmente sobre seus planos para o novo recurso, mas um porta-voz da empresa confirmou que ele está sendo testado em estágio inicial em dispositivos móveis, e que não aparecerá em todos os termos na busca.

TikTok vs EUA

A novela entre o TikTok e o governo dos EUA ganhou mais um capítulo nesta segunda-feira, 28. Isso porque o governo americano recorreu da ordem de um juiz que impedia o Departamento de Comércio de impor restrições ao app chinês. O órgão pretendia barrar o uso do aplicativo nos Estados Unidos.

Carl Nichols, juiz distrital de Washington, é o segundo juiz dos EUA a bloquear tal tentativa. A ação de Nichols se deu após a juíza Wendy Beetlestone, da Pensilvânia, bloquear as restrições contra o TikTok programadas para 12 de novembro. Na ocasião, ela decidiu que o Departamento de Comércio provavelmente ultrapassou sua autoridade quando tentou proibir o app.

publicidade

Um porta-voz do Departamento de Comércio dos EUA disse que continuaria a cumprir as liminares, mas pretendia “defender vigorosamente a [ordem executiva] e os esforços de implementação do Secretário de contestações legais”.

Desde agosto, o governo de Donald Trump tenta impor barreiras ao app da ByteDance. O então presidente dos Estados Unidos disse que assinaria uma ordem executiva para que o TikTok fosse proibido de operar no país. Na ocasião, ele comentou com alguns jornalistas que “no que diz respeito ao TikTok, estamos proibindo-o nos Estados Unidos”.

O presidente chegou a estipular uma data para que o TikTok fosse vendido nos EUA, mas o prazo foi adiado por diversas vezes.

Fonte: TechCrunch