EnglishPortugueseSpanish
publicidade

Amplamente defendido pelo governo federal como medicamento eficaz no combate à Covid-19, o vermífugo nitazoxanida, também conhecido como Annita, não será adquirido pelo Ministério da Saúde.

Em resposta a um pedido de informação feito pela deputada Sâmia Bonfim (PSOL-SP), a pasta informou que não disponibilizará o medicamento na rede pública de saúde.

publicidade

“A nitazoxanida não consta nas orientações do Ministério da Saúde para o tratamento da Covid-19, e também não se encontra incluída na Rename 2020 (Relação Nacional de Medicamentos), de forma que esse medicamento não é adquirido ou financiado com recursos federais do SUS”, diz o texto enviado pelo ministério.

Ainda segundo a pasta, apenas quatro medicamentos são recomendados pelo Ministério da Saúde no tratamento da Covid-19: a azitromicina 500 mg, associada à cloroquina 150 mg ou à hidroxicloroquina 400 mg, e o oseltamivir.

Governo federal defende nitazoxanida
Nitazoxanida foi defendida pelo governo federal como medicamento eficaz no combate à Covid-19. Imagem: Alan Santos/PR

Mudança de ideia?

Desde o ano passado, o governo federal vem defendendo o uso da nitazoxanida para o tratamento de infectados pelo coronavírus. Em outubro, o Ministério da Ciência e Tecnologia, encabeçado por Marcos Pontes, divulgou resultados de testes clínicos com o vermífugo.

Na ocasião, o governo descreveu o procedimento dos testes, realizados em 1.575 voluntários: um determinado grupo foi administrado com doses do vermífugo, enquanto o outro grupo recebeu placebo.

publicidade

O problema é que o governo apenas disse que o grupo administrado com nitazoxanida apresentou redução de cargas virais do coronavírus, sem apresentar qualquer dado comprovando a pesquisa.

A falta de informações, inclusive, foi justificada como ato para não quebrar o ineditismo da pesquisa, já que a mesma teria sido submetida a uma revista científica internacional.

Estima-se que o governo gastou cerca de R$ 5 bilhões para este estudo, cujo resultado ainda não foi divulgado.

Uma semana antes do anúncio da desistência do governo em adquirir a nitazoxanida, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender o uso de vermífugos no combate à Covid-19.

Em seu Twitter, o presidente atribuiu a baixa taxa de óbitos por coronavírus em países da África à distribuição em massa da ivermectina — vermífugo parecido com a nitazoxanida.

Via: Folha de S. Paulo, Poder 360