Após ter sua conta bloqueada na última sexta-feira (8), Donald Trump apareceu novamente no Twitter em um novo vídeo postado através da conta oficial da Casa Branca (@WhiteHouse).

Publicado na última quarta-feira (13), o discurso com pouco mais de cinco minutos de duração, dessa vez menos inflamado que o habitual, condena o comportamento violento, os crimes e o vandalismo promovidos pelo grupo de apoiadores do presidente republicano desde a invasão do Capitólio dos Estados Unidos no início de janeiro.

publicidade

Após ser banido permanentemente da plataforma, e de tentar continuar utilizando o Twitter através de outras contas oficiais do governo como a @POTUS, ver Trump novamente no microblog gerou certa controvérsia.

Vale lembrar que um dos motivos do bloqueio do atual presidente dos EUA foi justamente “difundir discurso de ódio e incitar a violência” utilizando o seu perfil @realDonaldTrump. Com mais de 88 milhões de seguidores, a página no microblog funcionava como uma espécie de “megafone digital” de Trump.

Twitter continua monitorando postagens do governo

Donald Trump
Donald Trump tentou continuar utilizando o microblog através de outras contas oficiais do governo. Imagem: Joseph Sohm/Shutterstock

De acordo com o Twitter, além de bloquear a conta @realDonaldTrump, a empresa continua acompanhando de perto o conteúdo postado por outras contas relacionadas ao governo norte-americano na rede social.

Procurado por Dylan Byers, repórter da NBC, uma das principais redes de televisão e rádio dos EUA, o Twitter declarou que a nova postagem da Casa Branca “não viola os termos de uso” da rede social:

“Como já havíamos deixado claro, outras contas oficiais do governo, incluindo a @WhiteHouse, têm permissão para usar o Twitter”, desde que o conteúdo compartilhado no microblog “não viole os termos da rede” ou esteja relacionado com novas tentativas do presidente de fugir do bloqueio de sua conta oficial.

Por ora, o Twitter recusou a responder se a presença de Trump no vídeo não conta como tentativa de “evasão ao bloqueio”.

Via: The Verge