Muitos de nós gostamos de assistir competições esportivas na TV – especialmente quando a ocasião envolve um bom churrasco entre amigos. E nessas horas o senso acalorado de torcedor acaba ficando mais evidente e, eis que, em uma brincadeira, um amigo palmeirense acaba desafiando um corintiano para uma aposta casual. “Caso ‘cinquentinha’ que o Verdão ganha essa”, diz o torcedor do Palmeiras. O do Corinthians, então, faz questão de responder à altura.

É justamente esse o tipo de situação abordada pelo Wanna, um aplicativo de apostas casuais que busca, segundo a própria empresa, “trazer de volta o senso de comunidade às apostas”. A companhia homônima está chegando ao Brasil de forma oficial nesta quinta-feira (28) e, após um soft launch que perdurou por quase todo o ano de 2020, o Olhar Digital teve a oportunidade de conversar com Carson Coffman, CEO e fundador; e Nicole Brandão, head de marketing.

publicidade
Carson Coffman e Nicole Brandão
Carson Coffman e Nicole Brandão – CEO e head de marketing do Wanna – inauguram a entrada do aplicativo de apostas no Brasil. Imagem: Wanna/Divulgação

“Nós chegamos ao mercado brasilieiro em 2019, durante a Copa América daquele ano, para avaliar se o nosso conceito funcionaria”, explica Coffman, que ressalta ainda que, à época, o Wanna funcionava mais como um jogo fantasia – “dinheiro falso, apostas casuais sem valor etc.”. “Foi a partir daí que recebemos um feedback bem positivo e pensamos ‘Ok, talvez isso dê certo’”.

“De lá para cá nós conseguimos cerca de nove mil usuários”, complementa Nicole Brandão. “Quando começamos a montar a empresa buscamos saber o que o público brasileiro estava curtindo mais, o que eles estavam discutindo com frequência. Então percebemos que, além de temas específicos, os brasileiros também se identificam muito com influenciadores. Foi então que buscamos alguns deles para serem nossos ‘embaixadores’, como Danilo ‘@tipsterdanilo’ Martins. Nosso objetivo é o de construir uma comunidade ao redor dessa casualidade entre amigos”.

Coffman explica que a ideia para o app e a empresa veio de uma situação simples como a posicionada no parágrafo acima. Apostador profissional, além de ex-atleta e empresário, Coffman e um amigo queriam fazer uma competição comum ao apostar em duas equipes, quando o CEO do Wanna pensou: “deve ter um jeito mais fácil de fazer isso”.

wanna apostas casuais
O Wanna traz funcionalidades de aposta casual, onde você compete com amigos pela vitória de um time que torce ou por algum competidor do qual seja fã. Imagem: Wanna/Divulgação

Mas engana-se quem pensa que o aplicativo se limita a apostas casuais esportivas: “hoje nós trabalhamos apenas com futebol, futebol americano e basquete. Estamos bem perto de abrir para as artes marciais mistas [MMA] e boxe, além de eventos de corrida. Mas o que queremos fazer de fato é nos abrir para todos os universos onde uma competição possa existir, como o Big Brother Brasil e outros reality shows”.

Coffman ainda cita a política como uma possibilidade para o Wanna: “por lei, você é proibido de fazer apostas, mesmo casuais, em quem venceria uma eleição presidencial, por exemplo, mas nada nos impede de atuar em coisas menores, como se um candidato usará essa ou aquela roupa durante um debate. Nós queremos criar a capacidade de oferecer uma oportunidade de aposta em qualquer tema que possa ser debatido, seja esportes, cultura. Nós não nos focamos nos resultados de uma competição, mas sim na diversão que ela traz”.

Empresa sinaliza “fazer mais” se a lei brasileira permitir

A legislação brasileira é outro ponto importante na mente do time do Wanna. Em termos simples, apostas (mesmo as casuais) e jogos de azar em geral são proibidos no Brasil. Por essa razão, os bingos de 15, 20 anos atrás foram fechados e você não pode, por exemplo, abrir um cassino em nossas terras.

A mesma premissa vale para o universo online: uma empresa não pode montar uma estrutura local, com sede e executivos nacionais caso seu negócio seja o ramo de apostas.

Há, porém, uma espécie de “contorno”: o Decreto-Lei 13.756/2018, que permite que uma empresa estrangeira desse tipo ofereça seus serviços aqui sem uma penalização legal. Por isso a Wanna pode oferecer sua plataforma de apostas casuais mesmo não estando sediada aqui. Por essa razão, as marcas que você costumeiramente vê anunciadas em intervalos de jogos de futebol no horário nobre, por exemplo, não são brasileiras, mas fundadas em países estrangeiros para que apenas os serviços delas sejam posicionados aqui.

Com a Wanna, é mais ou menos o mesmo precedente. Coffman explica que é o desejo da companhia o de abrir uma estrutura local, porém a legislação brasileira é o contraponto que a impede de fazer isso agora.

Ele e Nicole asseguram estarem acompanhando de perto as evoluções de projetos de lei que buscam abrir este setor no Brasil – mas a empresa quer mais: “Nós queremos ‘abrir a lojinha’ no Brasil, mas por razões legais, ainda não conseguimos. Então, por enquanto, vamos nos mantendo o mais próximo possível do mercado, ativando campanhas de marketing e interagindo com influenciadores e com o público”, ela conta.

Wanna: quase um Facebook para apostas casuais

No que tange ao aplicativo, o Wanna traz uma interface bem simples para apostas casuais e uma abordagem similar à de uma rede social: você constrói um perfil, cria uma mini biografia e, rapidamente, já consegue conferir as principais ligas dos três esportes contemplados pelo app. O interessante é que, embora o volume de esportes pareça pequeno, as opções de apostas são bem variadas – somente no futebol tradicional você tem as duas principais divisões do Campeonato Brasileiro, a Copa Libertadores da América, fora os campeonatos europeus.

Aqui, é possível adicionar amigos por meio de convite para que estes também se juntem e você consiga criar uma aposta em um jogo específico. Ou então entrar em uma aposta mesmo que a partida já esteja em curso. Ao criar uma competição do zero, você é levado à escolha da partida, o montante que deseja apostar e a forma de pagamento.

wanna apostas casuais
Ainda que o Wanna conte com poucos esportes para apostar, o volume de ligas disponíveis em cada um garante robustez ao app. Imagem: Olhar Digital/Rafael Arbulu/Captura

Coffman explica que isso assegura a transparência do processo: “quando falamos de uma troca financeira – como faz o Wanna em apostas casuais -, você não precisa se preocupar em receber porque o dinheiro dela é pago de forma antecipada. O Wanna age como o ‘pool’, se você quiser ser mais técnico, intermediando a transação. Nós recebemos a aposta, e nós entregamos o dinheiro a quem vencer. Como ambos os usuários concordaram com a aposta, não há risco de não pagamento. A partir disso, nós cobramos um pequeno valor operacional pelo nosso trabalho como intermediário”.

Você contra a “baleia branca”

A Wanna quer se posicionar como uma opção simplificada em um assunto que, honestamente, assusta muita gente. A empresa não se vê como uma “agência” como plataformas como Bodog, SportingBet e similares – onde você tem sugestões pré-determinadas de apostas nada casuais. Daí o desejo de ser uma ferramenta mais “comunal”. Brandão ainda conta que os planos da empresa são maiores, mas sempre com essa percepção de comunidade,

“Nos próximos meses”, ela diz, “pretendemos lançar atualizações com novos recursos para nossos membros. Uma das ideias que temos dado atenção é uma de ‘aposta coletiva’”.

Floyd Mayweather, ex-boxeador profissional
Um dos recursos planejados para o Wanna é a possibilidade de apostar contra grandes nomes, como o ex-boxeador Floyd Mayweather (foto). Imagem: A.RICARDO/Shutterstock

Ela e Coffman chamam o recurso de “One Too Many Bets” (“Uma Aposta além da Conta”, em uma tradução livre). “Imagine, por exemplo, que o ex-boxeador Floyd Mayweather faça uma aposta de um milhão de dólares no Wanna. Evidentemente não é todo mundo que será capaz de ‘casar’ esse valor contra ele, então a ideia do ‘One Too Many Bets’ é criar a possibilidade de que várias pessoas casem valores com os quais possam lidar, até somar o um milhão e competir com ele, dividindo os ganhos de forma justa em caso de vitória – como se fosse um crowdfunding”. No universo dos cassinos, há vários nomes para esse tipo de apostador: “white whale” (“baleia branca”) é um relativamente comum. “High roller” (“apostador alto”, na tradução livre) é outro.

Nicole Brandão explica que esse recurso deve chegar entre julho e agosto, enquanto a expansão para apostas em temas da cultura pop deve vir um pouco antes – abril ou maio.

“Nós amamos a ideia de ‘comunidade’” – explica Carson – “e essa é uma das razões pelas quais 2020 foi um ano tão duro com todo mundo, já que não pudemos estar com nossos amigos e entes queridos devido à Covid-19. Sendo eu mesmo um fã e apostador, não há graça em vencer uma aposta quando você não tem um amigo para se gabar disso – ou aguentar a derrota e as brincadeiras que virão contra você ao longo da semana caso você perca. A comunidade, em todos os aspectos da vida, é algo maravilhoso”.

Por ora, o Wanna está disponível para download no site oficial da empresa, onde você encontra os instaladores para iOS ou Android.