EnglishPortugueseSpanish

Visto como uma das maiores ameaças atuais, o malware Emotet impactou redes de várias organizações globais de 2020. Para mostrar o tamanho desse problema, a Check Point Software, empresa fornecedora de cibersegurança global, divulgou um documento que mostra como um esforço global foi capaz de interromper o problema.  

De acordo com a empresa, uma ação colaborativa entre oito países – Holanda, Alemanha, Estados Unidos, Reino Unido, França, Lituânia, Canadá e Ucrânia – e a Europol, serviço europeu de polícia, resultou na derrubada de toda a infraestrutura cultivada pelo Emotet ao longo dos anos.  

publicidade

Identificada pela primeira vez em 2014, a ameaça foi vista como um trojan relativamente simples usado para roubar credenciais de contas bancárias. No entanto, em dois anos, o Emotet se reinventou como um software que, após infectar um computador, consegue instalar outras ameaças. Dentre as opções mais utilizadas estão o trojan bancário Trickbot e o ransomware Ryuk. 

Já no ano passado, segundo a ThreatCloud, uma divisão da Check Point, o malware conseguiu impactar as redes de 19% de organizações globalmente. Além disso, estima-se que um dos maiores meios de transmissão do botnet foi por e-mail.  

Levantamentos apontam mais de 150 mil linhas de assunto diferentes e mais de 100 mil arquivos contendo a ameaça distribuídos por correio eletrônico. Para se manter relevante – e induzir os usuários ao erro – as mensagens eram constantemente alteradas para refletir interesses públicos, como a pandemia ou a Black Friday.  

Ataques com o Emotet em 2020 

Apesar do grande potencial de ameaça, os esforços do grupo de países parecem ter surtido efeito. Isso porque, após um período de pico – que registrou 47 mil tentativas de ataque mensais entre agosto e outubro -, o número de golpes envolvendo o Emotet caiu para cerca de 700 em novembro. 

De acordo com a Check Point, essa diminuição evidencia que forças-tarefa cibernéticas e países interessados em proteger pessoas e informações são bastante importantes em casos de ciberameaças que podem causar perdas de milhões de dólares e afetar negócios do mundo todo.