Apesar da segurança rigorosa das lojas de aplicativos, de tempos em tempos surgem softwares que enganam os usuários para obter alguma vantagem. Em um caso recente, além de copiar um serviço legítimo, os donos dessas versões estão ganhando muito dinheiro com uma prática nada honesta.  

O problema foi revelado pelo desenvolvedor do aplicativo FlickType, Kosta Eleftheriou – o principal afetado pelo ocorrido. O app original oferece algumas ferramentas para que seja possível digitar de forma mais clara na pequena tela do Apple Watch.  

publicidade

A denúncia do desenvolvedor é que a App Store conta com vários clones de sua criação. A questão, na maioria delas, é que há uma aproximação da versão original, mas que exige uma assinatura bastante alta para que o usuário tenha acesso a novas funcionalidades.  

Quando esse valor é pago, no entanto, recursos genéricos são liberados – e nenhum deles semelhante aos oferecidos pelo FlickType. Os usuários, por não conhecerem o original, acabam achando que se trata de um software legítimo, perdendo assim o tempo para pedir reembolso.  

Um dos principais alvos da denúncia de Eleftheriou é o KeyWatch, da ReadIQ. O software até foi removido da App Store após diversas denúncias, mas não sem antes oferecer aos desenvolvedores um faturamento de US$ 300 mil em um mês que ficou disponível.  

Outro detalhe apontado por Eleftheriou é que, mesmo com a remoção do aplicativo falso, a desenvolvedora não foi banida da loja de apps da Apple. Ela ainda oferece versões genéricas de aplicativos verdadeiros, como é o caso do GPS Speedometer, que cobra uma assinatura anual de US$ 416 – que rende US$ 200 mil por mês. 

Até o momento, a Apple não se pronunciou sobre o ocorrido. Mesmo assim, cabe o alerta de sempre verificar a empresa que lançou o aplicativo, tomar cuidado com assinaturas com valores muito altos e sempre olhar as avaliações disponíveis na página do software

Via: MacMagazine