O Snapchat disse que a nova política de privacidade da Apple pode trazer um impacto negativo para quem atua no ramo da publicidade digital. Entretanto, ao contrário de empresas como Facebook, Pinterest e Unity Software, a companhia que deu origem ao conceito de “stories” não criticou a mudança, sinalizando apoio à empresa de Cupertino.

Para contextualizar, após os eventos de 6 de janeiro, quando terroristas invadiram o Capitólio, em Washington, a Apple anunciou uma nova prática de privacidade, na qual exigiria que empresas que fazem a coleta de dados para anúncios direcionados obtenham o consentimento expresso do usuário, quando tal coleta servir para parceiros comerciais e outras aplicações.

publicidade

A grosso modo: o Facebook pode continuar a coletar seus dados, dentro da plataforma dele. Mas compartilhar esses dados com parceiros comerciais (como agências de publicidade), exigirá uma permissão específica.

O Snapchat reconhece o impacto da nova política de privacidade da Apple no ramo publicitário, mas sinalizou apoio à empresa de Cupertino. Imagem: BongkarnGraphic/Shutterstock
Snapchat reconhece o impacto da nova política de privacidade da Apple no ramo publicitário, mas sinalizou apoio à empresa de Cupertino. Imagem: BongkarnGraphic/Shutterstock

De acordo com o Derek Anderssen, CFO da Snap, empresa dona do Snapchat, a mudança na política da Apple “pode apresentar mais um risco de interrupção de demanda” para atores do mercado publicitário. Basicamente, ele reconhece que empresas do setor podem reduzir ou mesmo paralisar campanhas publicitárias frente às novas diretrizes que vão permear o iOS e os sistemas operacionais da “Maçã”.

Entretanto, na noite de quinta-feira (4), o CEO da Snap, Evan Spiegel, confirmou apoio à Apple: “Quando o assunto é a mudança de política que a Apple está fazendo agora, nós realmente pensamos neles como pessoas de alta integridade e estamos felizes de vê-los tomarem a decisão certa para seus consumidores”, ele afirmou em conferência por telefone com alguns analistas financeiros.

Finanças do Snapchat

O Snapchat apoiar a prática de privacidade da Apple é algo inesperado, considerando alguns números recentes da empresa. Segundo a imprensa norte-americana, a Snap estima um faturamento entre US$ 720 milhões e US$ 740 milhões (ou algo entre R$ 3,87 bilhões e R$ 4 bilhões) neste primeiro trimestre de 2020.

Entretanto, a empresa antecipa um prejuízo entre US$ 50 milhões e US$ 70 milhões no ajuste do índice EBITDA (sigla em inglês para “ganhos antes de juros, taxas e amortização”) – uma queda, considerando que a expectativa anteriormente divulgada era de US$ 19,26 milhões.

Por causa da expectativa de prejuízo, as ações da Snap acabaram caindo em valorização, fechando o pregão em US$ 52,20 (R$ 281,29) por papel – uma queda de mais de 10%.

Fonte: CNET