EnglishPortugueseSpanish

Depois de incêndios reportados nos carros elétricos Kona, na Coreia do Sul, a Hyundai se pronunciou sobre o problema. De acordo com a montadora asiática, um dos anodos presente nas células das baterias LG Energy Solution (LGES) causaram o fogo.

Em entrevista ao site InsideEVs, a Hyundai explicou que as investigações do Ministério da Terra, Infraestrutura e Transporte sul-coreano apontaram que a placa de anodo dobrada “poderia permitir que a placa de lítio na placa do anodo tocasse no catodo, resultando em um curto elétrico”. Mais de 15 incêndios foram registrados.

publicidade
Imagem do ônibus elétrico da Hyundai incendiado, enquanto bombeiros tentam controlar as chamas
Ônibus elétrico da Hyundai também pegou fogo na Coreia. ZDNet/YouTube/Reprodução

O curto elétrico é quando existe uma passagem de corrente elétrica muito alta e, nos materiais utilizados, provoca uma elevação de temperatura, podendo pegar fogo, como aconteceu nos carros Kona. Todas as células que deram defeito eram da LGES fabricadas em Nanjing.

No mês de fevereiro deste ano, a Hyundai realizou o recall de todas as baterias na frota de veículos Kona no país. O carro elétrico teve 77 mil exemplares vendidos, um investimento de US$ 540 milhões.

A LG Chem, que fabrica as baterias, negou ser a causa do incêndio. A companhia disse ainda que o problema não apareceu ao ser reproduzido em testes. Além dos veículos da Hyundai, o Chevy Bolt, da General Motors, enfrentou problemas com células de baterias similares nos EUA. A marca, porém, preferiu cuidar da situação de maneira mais discreta.

Ioniq 5

A Hyundai confirmou que o modelo elétrico Ioniq 5 terá baterias da SK Innovation. A marca, porém, enfrenta problemas nos Estados Unidos. A empresa está sob investigação da Comissão de Comércio Internacional, sob acusação de roubar segredos da LG Chem.

O presidente norte-americano Joe Biden vai revisar o banimento dela por dez anos. Assim, a fábrica da SK Innovation no estado da Geórgia depende da decisão dele. Se for fechada, dois modelos de veículos comercializados podem ser afetados. São eles o F-150 elétrico da Ford e o ID.4 da Volkswagen.

Via: InsideEVs