Um ano após anunciar a criação da iniciativa “Bezos Earth Fund”, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, finalmente revelou mais detalhes sobre seu projeto para enfrentar a crise climática mundial. O fundo, que financiará cientistas, ativistas e ONGs, recebeu uma aplicação inicial de US$ 10 bilhões do empresário.

Agora, Bezos divulgou mais informações sobre a liderança, estrutura e cronograma do “Bezos Earth Fund”. Uma delas é que o aporte bilionário será utilizado em cerca de US$ 1 bilhão por ano pela próxima década. Para ajudar a administrar os planos dessa empreitada, Bezos criou uma empresa, em agosto de 2020, a Fellowship Ventures LLC.

publicidade

O empresário mais rico do mundo também anunciou que Andrew Steer, será o CEO do “Bezos Earth Fund”. O executivo comandou por oito anos o World Resources Institute (WRI), instituição global de pesquisa que transforma grandes ideias em ações para promover a proteção do meio ambiente, oportunidades econômicas e bem-estar humano.

“O Earth Fund investirá em cientistas, ONGs, ativistas e no setor privado para ajudar a impulsionar novas tecnologias, investimentos, mudanças de políticas e comportamento”, escreveu Steer no Twitter. “Vamos enfatizar a justiça social, já que a mudança climática prejudica desproporcionalmente as comunidades pobres e marginalizadas.”

Leia mais:

Primeira doação

A primeira doação do “Bezos Earth Fund” foi anunciada em novembro passado. Ao todo, US$ 791 milhões serão distribuídos entre 16 organizações que atuam no combate às mudanças climáticas, segundo anunciou Bezos na época, em seu Instagram

A revista Forbes fez um levantamento de todas as associações que receberão os valores doados. Algumas delas são: ‘The Climate and Clean Energy Equity Fund’ (US$ 43 milhões); ‘ClimateWorks Foundation’ (US$ 50 milhões); ‘Dream Corps Green For All’ (U$ 10 milhões); ‘Eden Reforestation Projects’ (US$ 5 milhões); ‘Energy Foundation’ (US$ 30 milhões); ‘World Resources Institute’ (US$ 100 milhões) e ‘World Wildlife Fund’ (US$ 100 milhões).

Via: Recode