O estúdio Respawn Entertainment pode ser a primeira empresa do mercado dos videogames a ser indicada ao Oscar. A companhia que assina jogos como ‘Titanfall’ e ‘Apex Legends‘ é coprodutora do curta-metragem ‘Colette’, um documentário de 24 minutos sobre os últimos sobreviventes da resistência francesa em uma Alemanha ocupada pelo regime nazista.

O curta foi indicado à categoria correspondente pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Academy of Motion Picture Arts and Sciences, em inglês). O que poucos sabem é que “Colette” foi criado como uma parte do jogo em realidade virtual (VR) ‘Medal of Honor: Above and Beyond‘, que conta com um modo de galeria onde são exibidos diversos mini documentários com veteranos da Segunda Guerra Mundial. Vince Zampella, CEO do estúdio Respawn Entertainment, é listado no curta como coprodutor executivo.

publicidade

Leia mais

A notícia foi compartilhada no Twitter por Stephen Barton, um compositor de trilhas sonoras que trabalha na Respawn Entertainment. “A maioria das empresas não recebem indicações ao Oscar em sua primeira década de vida. A maioria  sequer recebe uma indicação. A Respawn acaba de se tornar o primeiro estúdio a conseguir isso”, diz o tuíte do músico.

Barton pode estar certo: pesquisas densas feitas pela internet não revelaram nenhuma outra companhia que estivesse envolvida nas premiações da Academia como indicada ou em outra função. O mais próximo que podemos afirmar é o Game Awards, uma premiação para o mercado de jogos que é referida por muitos como “o Oscar dos Games”. Mas isso está longe de ser a mesma coisa, convenhamos.

‘Medal of Honor: Above and Beyond’, por outro lado, recebeu críticas medianas, porém com tons positivos. De acordo com o agregador de reviews Metacritic, o jogo, lançado pela Respawn Entertainment em novembro de 2020, tem 67 pontos (de um total de 100) na opinião da crítica especializada, e a pontuação vinda de análises publicadas por usuários é de 6,3.

No que tange ao documentário, ‘Colette’ tem duração de 24 minutos, com coprodução dividida entre a Respawn Entertainment e a Oculus, do Facebook. O lançamento do curta foi feito pelo jornal britânico The Guardian. A peça conta a história de Colette Marin-Catherine, uma idosa de 90 anos que lutou pela Resistência Francesa contra o regime nazista – uma luta para a qual ela perdeu seu irmão, Jean-Pierre, assassinado pelos extremistas seguidores de Adolf Hitler.

Ela sempre se recusou a sequer visitar a Alemanha após o fim da guerra, mas isso acaba mudando quando uma estudante de história chamada Lucie começa a pesquisar sobre o conflito, fazendo com que Colette acabe visitando o que sobrou do campo de concentração de Nordhausen, na Alemanha.

O filme pode ser assistido gratuitamente pela página do próprio jornal.

Fonte: Guardian (1) (2)