Informações delicadas como WhatsApp, profissão e salário de 112 milhões de brasileiros estão à venda em uma base de dados na web. As informações privadas estão disponíveis no mesmo fórum em que os dados do vazamento de janeiro estão sendo vendidos.

Porém, uma diferença neste vazamento é uma espécie de cortesia oferecida gratuitamente pelos hackers. Trata-se de um arquivo que pode ser baixado gratuitamente por qualquer pessoa com acesso ao fórum que expõe cerca de 250 mil pessoas.

publicidade

Em uma lista que tem todos os campos preenchidos, é possível obter sem nenhum custo o nome completo, número do telefone, ou seja, o WhatsApp, endereço, data de nascimento, nome da mãe, profissão, salário, número do CPF, profissão e se há a possibilidade de as pessoas estarem mortas.

Leia também:

O anúncio diz que essas informações foram obtidas em janeiro deste ano, mas não informa se elas estão conectadas com o vazamento histórico deste ano. Isto acontece porque nos anúncios dos dados vazados, a “amostra grátis” possui menos informações.

Além disso, as amostras de outros anúncios não apresentam informações que façam referência ao WhatsApp, mas, somente números de celular.

Autoridades podem ter sido expostas

Alguns e-mails possuem os domínios “.gov.br” e “.jus.br”

Além de cidadãos comuns, pessoas com endereços de e-mail nos domínios “.gov.br” e “.jus.br” constavam na amostra. Isso pode indicar que funcionários públicos ligados ao governo federal ou ao judiciários podem ter sido expostos.

De acordo com o anúncio, o pacote completo tem 20GB de material e é vendido por 0,12 bitcoin (em torno de R$ 38 mil na cotação atual). 

Com informações do Estadão

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!