O ex-boxeador Mike Tyson pode ganhar uma série de TV sobre sua conturbada história de vida. Segundo informações da plataforma de streaming e notícias esportivas DAZN, a produção deve ter atuação de Jamie Foxx (“Django Livre”, “Código de Conduta”, “O Espetacular Homem-Aranha 2”), direção de Antoine Fuqua (“Dia de Treinamento”) e produção executiva e consultoria de Martin Scorsese (“O Irlandês”, “Os Infiltrados”, “Boardwalk Empire”).

Ainda não há detalhes sobre a série, que se chamará “Tyson”, mas a carreira do atleta foi marcada por muita polarização. Além disso, a ascensão e a queda do ex-campeão mundial peso pesado foram intensamente cobertas pela mídia internacional.

publicidade

“Eu venho querendo contar minha história já há um bom tempo”, disse Tyson em comunicado. “Com o lançamento da ‘Only Legends League’ e a empolgação dos fãs após meu retorno ao ringue, agora parece ser o momento perfeito. Estou ansioso para colaborar com Martin, Antoine, Jamie e toda a equipe de criação para trazer ao público uma série que não só captura minhas jornadas profissional e pessoal, mas também serve para inspirar e entreter.”

Leia mais

A vida de Mike Tyson pode render uma série para a TV norte-americana, e segundo fontes, já conta até com um piloto pronto para filmagem. Imagem: HBO/Divulgação
A vida de Mike Tyson pode render uma série para a TV americana. Segundo fontes, já há até um piloto pronto para filmagem. Imagem: HBO/Divulgação

Michael Gerard Tyson, conhecido como “Iron Mike” no começo da carreira, competiu no boxe de 1985 a 2005. Ele foi campeão mundial peso pesado com apenas 20 anos — o mais jovem da história a conquistar um cinturão — após vencer suas primeiras 19 lutas por nocaute (12 delas no primeiro round).

Montagem mostra o boxeador Mike Tyson, com seus 20 anos na década de 1990, e hoje, aos 54 anos.
Mike Tyson foi o campeão peso pesado mais jovem da história do boxe (esq.) e retornou aos ringues há alguns meses, com 54 anos (dir.). Imagem: Amazon Prime/Divulgação/Kathy Hutchins/Shutterstock

Posteriormente conhecido como “o homem mais malvado do planeta”, Tyson teve infância e adolescência complicadas: cresceu em regiões do Brooklyn com alta criminalidade — aos 13 anos, já havia sido preso 38 vezes. Nessas idas e vindas de embates com a lei, Tyson foi enviado a um colégio para garotos.

Lá, sua desenvoltura física e seu talento para o boxe começaram a aparecer e chamaram a atenção de Bobby Stewart, conselheiro da escola, que o apresentou a Cus D’Amato, um dos maiores treinadores de boxe da história. Tyson viria a considerar D’Amato sua referência paterna.

Entre as controvérsias de sua vida fora dos ringues, a morte de D’Amato, disputas contratuais e uma derrota para Buster Douglas, Tyson acabou preso e condenado pelo estupro de Desiree Washington. A pena foi de seis anos, mas ele cumpriu três e deixou a cadeia mediante condicional.

Em seguida, Tyson voltou aos ringues e, entre vitórias e derrotas (incluindo as duas lutas perdidas para Evander Holyfield e a fatídica mordida na orelha do adversário), aposentou-se do esporte em 2005, após ser vencido pelo irlandês Kevin McBride.

Eventualmente, Tyson venceu a falência ao entrar para o mundo das palestras motivacionais. Em 2016, fundou a marca Tyson Holistic e criou um império com a venda legalizada de maconha — segundo o New Zealand Herald, o negócio ainda lhe rende pelo menos US$ 500 mil por mês (quase R$ 2,88 milhões).

Em novembro de 2020, Mike Tyson voltou aos ringues na “Legends Only League”, uma espécie de promoção criada por ele para que ex-estrelas do boxe pudessem lutar novamente. Na ocasião, Tyson fez a luta principal da noite contra Roy Jones Jr. O encontro foi declarado como empate — apesar da clara superioridade de Tyson durante a luta — e todos os ganhos foram direcionados a instituições de caridade. Há boatos de que uma terceira luta entre ele e Holyfield esteja em negociação.

“Tyson” já tem um episódio piloto com roteiro finalizado. Agora, os envolvidos discutem qual emissora americana vai ser escolhida para veicular a produção.

Fonte: DAZN / New Zealand Herald