A empresa PLDT, Inc. anunciou nesta quarta-feira (31) que seu sistema de cabo submarino chamado de “Júpiter” ficará pronto ainda em 2021. O equipamento suporta serviços fixos e móveis e conecta pontos no Japão, Filipinas e Estados Unidos.

O trabalho está sendo feito com as principais operadoras asiáticas e players OTT (over-the-top) para implementar o novo sistema, que suporta os requisitos esperados de serviços fixos e móveis.

publicidade

O atraso na conclusão do projeto se deve às restrições relacionadas à pandemia da Covid-19 em todo o mundo. A empresa anunciou em outubro de 2017 que investiria cerca de US$ 136,7 milhões em um sistema de cabos Trans-Pacífico de fibra óptica capaz de fornecer mais de 60 terabytes por segundo das Filipinas para o Japão e Estados Unidos, diretamente.

Leia mais:

A gigante de telecomunicações espera gastar entre R$ 88 bilhões e R$ 92 bilhões neste ano em seus projetos.

Em outro anúncio recente, a Smart Communications, Inc., braço sem fio da PLDT, anunciou uma parceria com a empresa global de telecomunicações Vodafone para fornecer serviços de roaming 5G para assinantes na Austrália, destino-chave dos filipinos.

Entenda a importância dos cabos submarinos

É bastante provável que você já tenha ouvido falar de cabos submarinos. Eles são usados em trechos de mar para ligar estações terrestres e, assim, transmitir sinais de telecomunicações por longas distâncias. Para isso, são instalados no assoalho oceânico.

Esses cabos recebem proteção mecânica adicional para que sejam instalados sob a água: normalmente, têm interior de aço e isolamento especial. Eles podem ser metálicos, coaxiais ou ópticos — os mais utilizados atualmente.

Para conhecer mais sobre o funcionamento e importância dos cabos submarinos, confira o especial preparado pelo Olhar Digital.

Fonte: Business World

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!